quarta-feira, 28 de novembro de 2012

It Goes Both Ways...






"- Quando eu estou mais em baixo, tu  estás sempre otimista, sempre a tentar animar-me."
...

E não é assim mesmo que tem de ser?

*
*

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Não há duas sem três

diz o povo e tem razão!





Tenho a orelha direita tão quente, tão quente, tão quente, que se não tivesse já jantado, estrelava um ovo e comia!!

Chiça!

*
*

To say or not to say...



Esta coisa dos comentários em posts é engraçada. Vou lendo muita coisa e de vez em quado lá tenho uma posta de pescada para atirar.
Mas ainda assim, a preguiça de escrever impede-me por vezes de partilhar a minha fabulosa sabedoria e opinião com os outros!
Eu sei, o mundo perde imenso!

Depois há os comentários que me apetecia escrever e não escrevo!
Às vezes, quando tenho qualquer coisa mais cáustica para dizer, escrevo, fico a olhar para eles durante cinco segundos, e a seguir apago, satisfeita.
Era bom podermos fazer isto noutros campos da vida.
Destilar o fel que nos faz mal, mas poder retirá-lo depois de feito o gosto, sem que esse fel amargasse aos outros.
Ficava toda a gente contente!

*
*

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Coisa mai linda...

Já sei que é a segunda vez que falo de ouvidos num tão curto espaço de tempo, mas nos últimos dias, é assim que tenho trabalhado. De tampões nos ouvidos.
Porquê?
Porque o bebé aqui do lado continua a chorar de manhã à noite...
E a pobre da mãe dele, continua a gritar.
E o irmão de dois anos (que é super giro!) continua a chorar quando ouve qualquer um dos dois...
A solução que encontrei para conseguir trabalhar foi colocar tampões nos ouvidos, só que até me ouço a pensar, ouço-me a falar em stéreo (sim,  quando começo a ficar cansada, digo em voz alta o que estou a escrever, para me concentrar) e até me ouço a respirar!... Oh god...

*
*

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

19




Hoje, o Nuno faz anos.
Hoje, também faz anos que nos conhecemos.
19.
Tantos quantos eu tinha na altura.
Conheço-o, portanto, há metade de uma vida.
E digo com toda a segurança que foi a melhor metade da minha vida!
Agora, é sempre a subir!

Happy B'day, love!

*
*

domingo, 18 de novembro de 2012

Dúvidas que me encalacram a psique...


quando limpamos os ouvidos com uma cotonete, e a empurramos um pouco mais do que devíamos, por que motivo faz um "piquinho" na garganta?!!!
Parecendo que não, isto perturba-me!

*
*

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Chamem-me má, que eu aguento



Não costumo comentar muito a atualidade política ou social por estas bandas.
Mas anda aqui uma coisa a envergonhar-me e a fazer-me comichão, por isso, quero deixar aqui o que acho do assunto.
Para mim, a carga policial sobre os "manifestantes" mascarados em frente à AR, ainda foi fraca em proporção com a estupidez daquela gente que, à falta de argumentos se limitou a arrancar paralelos da calçada e atirá-los a quem estava a trabalhar.
O problema é que os idiotas que atacaram a polícia - e a nossa democracia, que estes atos não são a voz do povo - não estavam ali para se manifestarem; estavam ali para armar confusão e para aparecerem nas notícias; para fazerem bonito para os amigos lá do bairro.
Assim sendo, cá por mim, ainda tinham era levado mais.

Como disse a uma amiga, só se perderam as que caíram no chão.
Lamento, obviamente, as pancadas que pessoas eventualmente inocentes também acabaram por levar. Mas quando não se respeita os avisos da polícia, que pediram às pessoas para dispersar antes de responderem aos ataques, não se é assim tão inocente, pois não?...

*
*


quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Favorite Words

Sei que não tem nada que ver, mas é isto que  me faz lembrar a palavra...



Há palavras que independentemente do seu significado me soam tão bem aos ouvidos, me fazem suspirar só pela sonoridade que têm, pelos sentidos próprios que lhes atribuo.

Vespertino é uma delas.
Acho-a tão linda, vespertino...
Creio que a primeira vez que a ouvi foi numa música desse monstro da canção romântica que é o Roberto Carlos, e dita com sotaque brasileiro é ainda mais bonita. Vêspertchino!!

É mesmo gira!

*
*

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Acho que vou ler...






Há dias em que, não sei porquê, nada está como devia estar e simplesmente não me consigo concentrar para trabalhar.
A cadeira é a mesma de sempre, a mesa também, o banquinho para os pés o melhor que alguma vez tive. Pois não sei o que se passa, mas não me sinto confortável. Ora tiro almofada, ora ponho almofada, ora levanto a cadeira, ora a baixo, ora ponho as páginas na vertical, ora na horizontal.
Tenho frio, dores de pernas e lombar (cortesia do Plate) e... chiça!
O dia não me rendeu nadinha.

Hmphh!

*
*

You're So Vain, I bet you think this text is about you




Sei que esta coisa dos blogues é antes de mais um grande exercício de vaidade do autor; não me venham com coisas que cá para mim toda a gente gosta de ter feedback das cenas que escreve, seja ele mais ou menos favorável. Se quem escreve blogues não gostasse de feedback, das duas uma: ou não permitia comentários e limitava-se a escrever para a frente, ou então escrevia em privado, para seu registo e memória futura, sem mostrar nada a ninguém.

Ora, quase todos gostamos da ideia de ter o que dizer ao mundo, de o mundo nos ouvir e até concordar connosco, validar as nossas opiniões, provocando a consequente e tão desejada massagem ao ego. Eu gosto. Gosto que as minhas amigas, que as pessoas que me leem, me deixem um ou outro comentário. É verdade que não escrevo exclusivamente para isso, mas é agradável sentir o eco das minhas palavras. Não acho é que o número de comentários ateste a pertinência das minhas opiniões ou convicções.

Nestes tempos em que tanta gente vive isolada e a meio mundo de distância dos seus, isto acaba por ser um bom canal para combater a solidão.

O que me escapa, e certamente o problema é meu, é a intenção daquelas pessoas que escrevem sem escrever, que contam sem contar; que se limitam a dizer: "No hospital"; ou pior, que fazem grandes textos vazios de sentido e cheios de expressões que não dizem rigorosamente nada, mas que lançam o anzol para os leitores mais preocupados e carneirada em geral inundar a caixa de comentários com manifestações de cuidado e votos de coragem e força.

Nem que o paciente internado seja o canário lá de casa!

*
*

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Diga Bom Dia (não, não é com Mokambo!)

Vou para o ginásio a pé.
Fica pertinho e ponho-me lá em quinze minutos a passo descontraído, doze se for atrasada.
No outro dia fui de manhã, coisa que nunca faço, mas que vou começar a fazer uma ou duas vezes por semana a partir de agora.
Moro numa freguesia limítrofe de Braga, daquelas que há 50 ou 60 anos eram uma aldeia dos arredores, mas que foram "promovidas" a freguesia da cidade grande! Os prédios chegaram e com eles mais gente, principalmente gente nova. Mas aqui há muito velhinhos. Enchem o autocarro todos os dias e, verifiquei nesse tal dia, enchem as ruas de manhã.
E é engraçado passar na rua e ver os velhinhos a olhar para mim com curiosidade (provavelmente a pensar - De onde é que esta saiu, que nunca a vi aqui de manhã?) e a ficarem muito espantados quando lhes dou os bons dias!
É tão gira a resposta de muitos: Bom dia, menina!; Bom dia, passou bem?

Acho que devia ser obrigatório, cumprimentar sempre as pessoas com quem nos cruzamos na rua. Já sei que no meio da cidade seria, no mínimo, trabalhoso, mas é uma pena estarmos a passar ao lado do poder social de um Bom Dia.

*
*

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Nesta Tarde de Quarta Feira...

apraz-me dizer uma coisa:

Chiça que está frio!!

É tudo!

*
*

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Yeah!!

O senhor escreva p'á frente, que eu traduzo!


Esta sensação de acabar um trabalho, relê-lo e ver que está bem feito, que é bonito, que (mesmo depois de o ler três vezes) mexe com os meus sentimentos e me faz ficar com as lágrimas nos olhos de tão bom que é, é absolutamente impagável.
Assim como não tem igual a sensação de receber outro livro logo a seguir, do mesmo autor, talvez ainda melhor que o anterior.

A sério, estou cansada, a precisar de respirar, mas vivo para isto!

*
*


sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Hi!


E quando uma amiga nos telefona só para dizer olá e a conversa se estende por 40 minutos sem darmos por eles?!
Há lá coisa melhor?

:)

*
*

Bem,

hoje parece-me segunda-feira!
E como toda a gente:


















*
*