terça-feira, 30 de outubro de 2012

De Rabo ao Léu



Então diz que a senhora Merkel vem a Portugal dia 12 de novembro.
Já estão a ser preparados protestos e há o receio de que alguns descambem em violência.

Não sou grande apologista da violência, acho que não justifica, não ajuda nem dá razão a ninguém. No entanto, dou por mim a desejar que alguém tivesse coragem de mostrar que nem tudo está tão bem como o nosso primeiro gosta de fazer crer quando fala de Portugal nos encontros europeus.
Não era preciso haver violência, mas gostava que por onde passasse a senhora Merkel, os espetaculares portugueses (ou lá qual foi o adjetivo usado pelo ministro Gaspar) lhe virassem as costas e mostrassem o rabo.
Era lindo de se ver, ruas, avenidas, alamedas, praças e cruzamentos ladeados de gente com o traseiro à mostra!

Podia ser que percebesse que não somos assim tão mansos como o seu "afilhado" político nos quer pintar...


*
*

domingo, 28 de outubro de 2012

A Segunda Melhor Coisa do Outono




A mudança da hora desta vez foi amiguinha!
Pude ler mais 20 páginas e apagar a luz à hora do costume.
Para quando, senhores, um dia com 25 horas?!

*
*


sábado, 27 de outubro de 2012

Dinosaurs & Friends!



Esta coisa da aldeia global é de facto fantástica. Porque o mundo passou a ser mesmo uma aldeia onde todos se podem encontrar com um simples clique!

Aqui há uns tempos (não há muito) a minha prima que tem 21 anos perguntou-me, espantada, como fazia na minha adolescência para contactar os meus amigos: não havia net, não havia telemóveis, e, obviamente, redes sociais eram uma ideia ainda mais estapafúrdia do que ir viver para Saturno!
- Ora bem, expliquei-lhe, falávamos por telefone fixo (quem tinha), por carta (nas férias) e durante a semana, enquanto andávamos na escola.
Senti-me um dinossauro!

E a verdade é que sempre tive amigos bastante próximos, que me encheram a vida e o coração de coisas boas. E com quem partilhei experiências doidas, mas assim é que tem piada!
Quando fui para a faculdade, acabei por lhes perder o rasto a quase todos. Fomo-nos espalhando por aqui e por ali, cada um nas suas vidas. E raramente tive notícias deles.

Há uns dias, voltou a acontecer o que já tinha acontecido com a "redescoberta" do pessoal da faculdade. Recebi um pedido de amizade no Facebook de uma amiga querida de Torres Novas e através dela, voltei a encontrar uma série de outros amigos, que não estavam esquecidos, mas guardados num cantinho da memória.

É tão giro ver as fotos, reconhecer os rostos, ver as pessoas que conhecemos há mais de vinte anos espelhadas nos rostos dos filhos delas!

Faz-me regressar àqueles dias fantásticos em que as nossas preocupações eram tão simples e perceber que, sim, os amigos ficam sempre aqui!

*
*


sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Tudo ou Nada




Há dias em que parece que nada acontece, que o marasmo se instalou e os minutos se arrastam interminavelmente.
Depois há dias, como o de hoje, em que acontecem mil coisas importantes ao mesmo tempo, a nós e a pessoas que queremos bem.
Estou à espera de notícias de duas editoras; uma amiga teve uma reunião importante e ainda não sei o resultado; outra vai ser internada para ser operada amanhã; outra ainda acabou de mudar de país e ainda não tive notícias dela; tenho que trabalhar muiiiito, já é uma da tarde e o meu nível de concentração hoje é zero!...

Ai, ai...

*
*




quarta-feira, 24 de outubro de 2012

38 And Counting!



Li algures alguém a dizer que as pessoas agora têm vergonha de envelhecer, que não valorizam a sabedoria que vem com os anos e com as rugas.
Pois, isso é tudo muito lindo!
Concordo que hoje em dia existe uma quase obsessão com a juventude eterna e que à medida que a esperança de vida das pessoas aumenta, aumenta também o desejo de se ser jovem mais tempo. Eu própria digo vezes sem conta que não sinto os 38 anos que tenho. Quero dizer, quando era miúda, a minha professora tinha 32 anos e para mim era velha acabada, estava com os pés para a cova. E agora que tenho mais seis anos do que ela tinha na altura, já não me parece assim tão acabada! Claro que com a idade, lá está, vamos mudando de perspectiva e nem quando o meu sobrinho me perguntou - Ó tia, tu já és um bocadinho velhinha, não és? - os anos me pesaram.
Acolho no regaço a idade que tenho, embora não a sinta no espírito. Também não tenho vergonha de dizer que tenho 38 anos. É um número tão redondinho!

Só me aborrecem as ruguinhas que me aparecem à volta dos olhos, embora saiba que são o sinal incontestável da minha crescente, e evidente, sabedoria!!

*
*

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Pingos!



Um dos meu sons favoritos é o da chuva a cair lá fora, enquanto estou debaixo dos cobertores.
Adoro imaginar que está frio e vento e eu ali, quentinha e enroscada na cama.

Uma amiga dizia há pouco tempo que dormir de mais era um desperdício de tempo. Dormir, até pode ser (embora para pessoas como eu que de vez em quando perdem o sono sem como nem porquê, dormir seja a oitava maravilha do mundo!), mas estar na cama, ou no sofá, vá, com uma mantinha nas pernas, a ouvir os pingos num quase crepitar de água, é do melhor que pode haver!
Acho que para isto, moro na terra certa. É que quando dá possibilidade de chuviscos para o resto do país, em Braga chove torrencialmente!





*
*

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Needles!



Às vezes apetece-me mesmo fazer uma bucket list!
Seria giro enumerar as coisas que sempre pensei que gostaria de fazer, ou aquelas que "não morro sem..." - isto partindo do feliz princípio que a vida não me troca as voltas e que ainda me faltam uns 45 ou 50 anos de vida condigna, claro!

Posso dizer que da minha hipotética lista já teria riscado duas ou três coisas.
Uma delas seria esta que está na foto lá de cima.
É o Cleopatra's Needle, um obelisco que foi oferecido pelo Egito ao Reino Unido. Há um igual no Central Park , em Nova Iorque - que também vi quando lá fui... - e outro em Paris, embora já não seja um par exato deste de Londres e de NY.
A primeira vez que li sobre estes obeliscos ainda andava no liceu e fiquei absolutamente fascinada com a sua imponência e significado.
Pode não parecer grande coisa, mas queria mesmo vê-los e, se possível, sentar-me no colo de umas das esfinges.
Done!



Vamos considerá-lo um objetivo em três etapas.
Needle de Londres: check!
Needle de NY: check!
Needle de Paris: Soon, I hope!


*
*



terça-feira, 16 de outubro de 2012

Fashion!

A sério?!! 






Esta coisa das roupas e da moda deixa-me por vezes um pouco confusa.
Para mim, moda será quando conseguimos adotar as "tendências" ao nosso gosto, e mais importante, ao nosso corpo e personalidade em particular. (Coloquei tendências entre aspas porque também não sei avaliar muito bem a legitimidade de se dizer que determinada peça ou conjunto é "tendência". Que a moda seja um mundo em permanente evolução, parece-me indiscutível, mas por vezes não entendo onde os criadores vão buscar inspiração. Mas enfim, também não percebo nada disto, só vim cá ver a bola.)
Acho idiota que as pessoas achem que podem usar tudo o que é tendência, sem olhar ao que lhes fica realmente bem. Não defendo o usar por usar. E muito menos o usar porque os outros usam.
Acho que a moda só faz sentido se a tornarmos nossa, se nos servir na pele. E acho que jamais direi aquilo que já ouvi de várias pessoas: "Eu até nem gosto muito, mas agora está na moda".

Que grande idiotice.

*
*




segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Dream Come True


Uma das coisas que sempre adorei no meu trabalho foi como me permite ir aprendendo coisas novas todos os dias.
Pode ser uma palavra, uma teoria, uma curiosidade, até uma coisa sem jeito nenhum. Mas aprendo!
E por entre dores disto e daquilo, continuo a achar que tenho o melhor trabalho do (meu) mundo!
Torna tudo um bocadinho mais fácil.
Só tenho pena de nem sempre ter este discernimento. Mas quando tenho, agarro-me a ele.
Adoro o que faço!


*
*

sábado, 13 de outubro de 2012

Really?

  (image retirada da Net)



Que raio de ideia é esta de atribuir o Prémio Nobel da Paz à União Europeia?
Really?
Nunca fui grande defensora da construção europeia, da uniformização de culturas e procedimentos; o resultado está agora a começar a aparecer.
Exceptuando obviamente as duas Guerras Mundiais que nos assolaram, nunca como agora se viu tanta desigualdade e injustiça dentro da Europa. Nunca as pessoas se sentiram tão descontentes e ameaçadas.
E uns cérebros iluminados acham que isto é merecedor de uma distinção Nobel?

Há aqui qualquer coisa que me passa ao lado...

*
*

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Não Tenho Palavras



                 (nem imagens que se adequem...)



Eu não sei o que é que esta gente quer, palavra de honra que não sei.

Os trabalhadores independentes, categoria onde me incluo, não só têm todas as despesas de IRS por sua conta como ainda pagam uma exorbitância de Segurança Social. Eu desconto (por enquanto) 21,5% de IRS de cada recibo que passo e pago 29.6% do meu rendimento anual à SS. 29.6% !! É quase um terço do meu trabalho, para a SS e mais de um quinto para o IRS. Querem fazer as contas?...
Vou pagar mais impostos, como toda a gente, e o meu rendimento colectável para IRS ainda vai subir mais 10%.
EU VOU PAGAR IMPOSTOS DUAS VEZES! VOU SER TAXADA POR DUAS VIAS!

Trabalho que me desunho, arruíno o corpo na esperança de conseguir construir um futuro descontraído, risonho, com espaço para concretizar alguns objectivos, alguns sonhos. PARA QUÊ?!

Se me querem tirar esse futuro?

*
*





Who's That Man?


Eu até gostava de poder falar do Mo Yan, anunciado ontem como Prémio Nobel da Literatura de 2012, mas não sei quem ele é!
E gostava de saber quantas pessoas em Portugal (e na Suécia - ou fora da China - já agora) já leram alguma coisa dele. Diz-se que o próprio autor pediu para que um dos seus livros fosse retirado de circulação.  (Também com o título Peito Grande, Ancas Largas, não admira!)

Fiquei a saber destas coisas ontem, porque, lá está, não fazia ideia da existência deste autor.
Ora, ou sou eu que sou muito inculta e distraída, ou então não entendo mesmo o critério de atribuição da distinção.

É que uma pessoa põe-se a pensar em Camus, Sartre, Steinbeck, Faulkner, Llosa, Pinter, e outros autores fantásticos que já foram galardoados (não, não me esqueci do Saramago, só não gosto da escrita dele), e parece que se perdeu aqui qualquer coisa de genialidade premiada.
Enfim, não posso criticar mais antes de ler, mas que me causa estranheza, lá isso causa!

*
*

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Pronto

não resisti!
Andava aqui a travar-me para não me embrenhar na leitura - o trabalho aperta! - mas não resisti a dedicar uma horinha ao primeiro volume de A Queda dos Gigantes.
Tenho muitos livros bons para ler, mas ando com saudades de Follett desde os tempos de Um Mundo Sem Fim.
O mais difícil é não perder o controlo do tempo, porque o que me apetecia era deitar-me ali no sofá, pôr a mantinha pelas pernas e ler até à noite!

E cá está mais uma coisa que regressa aos poucos: a leitura pela leitura. Sem ser trabalho.
É tão bom!

*
*


quarta-feira, 10 de outubro de 2012

So I Say: Jump!




Pela primeira vez em muito tempo, sinto aquelas dores boas do músculo trabalhado.
O regresso ao gym foi bom, e hoje há saltinhos, com a bff ao lado e a melhor prof de Jump à frente!
E a verdade é que estou farta de olhar para o relógio, a pensar: Já são horas?!
Chiça, que é bom regressar à vida!!

Sinto-me outra, é o que vos digo!

*
*

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Sair da Toca



Tenho andado um pouco mais bicho do mato que o habitual.
Há vários meses que não vou ao ginásio com regularidade; primeiro porque tinha trabalho, depois porque me doía qualquer coisa, depois porque se meteram as férias, depois porque a preguiça já estava instalada, o ritmo quebrado e a vontade desaparecida em parte incerta.
Hoje, quando estava a tentar trabalhar e tirar da cabeça as tristezas alheias, mas que também são minhas, comecei a achar que as paredes do escritório se estavam a aproximar de mim. Fui à sala e senti a mesma coisa, como se estivesse metida numa cena do Inception...
Comecei a flipar verdadeiramente da batatinha, porque nunca fui muito dada a psicoses e cenas maradas e achei que precisava de sair de casa.
Fui ao ginásio, fiz uma aula de BodyBalance, que adoro e que me faz bem ao corpo e à alma. De caminho ainda encontrei algumas amigas e pus um pouco a conversa em dia.
Vim para casa a pé, como sempre, a respirar o ar mais fresquinho da noite.
Quando cheguei, entrei na sala - nada. Entrei no escritório - nada. As paredes tinham voltado ao lugar.
E eu aprendi que não posso ficar tanto tempo fechada em casa sem ver o céu.

*
*


sexta-feira, 5 de outubro de 2012

A Song of Ice and Fire


Gosto imenso de ver séries.
Adoro aquela sensação de quase fúria que me invade quando pressinto que o episódio está quase a acabar, precisamente quando a acção está no pico e o suspense é maior. Adoro, apesar de me enlouquecer, quando penso que tenho de esperar mais uma semana para ver o que acontece.
Agora com aqueles sites de streaming, em que dá para ver todos os episódios que já tenham saído no país de origem das séries (e às vezes até antes de saírem), esta sensação já não se verifica tanto, mas como cá em casa temos gostos semelhantes, para certas séries, prefiro esperar e ver com o Nuno.

Não li os livros do George Martin - autor que admiro muitíssimo e que já traduzi - mas fiquei absolutamente vidrada n'A Guerra dos Tronos. Sei que a série não é tão completa quanto os livros, que umas histórias têm mais relevância, outras não tanto, mas ainda assim, agarrou-me mais que qualquer outra que tenha visto.
Adoro o Peter Dinklage e o seu Tyrion Lannister e amo de paixão a Daenerys Targaryen (pela maravilhosa Emilia Clarke)! 
Tenho um amigo que devorou os livros e os adorou; embora já lhe tenha feito algumas perguntas, com muito esforço lá resisti perguntar-lhe se o estúpido do Joffrey vai com os porcos ou não! Acho que nunca detestei tanto uma personagem!

Diz que a terceira temporada estreia a 31 de Março de 2013.
E ainda falta tanto!

*
*


quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Já Percebi



que neste momento não me faz nada bem continuar a ver noticiários e comunicações ao país.
Tiram-me o sono.
Prefiro ver a Casa dos Segredos, que sempre me divirto com a burrice alheia!
É oficial, como não posso fazer greve laboral, vou fazer greve de notícias por uns tempos. Se acontecer alguma coisa meeesmo grave (tipo um tsunami ou a queda do governo - whatever comes first), avisem-me pf!

(sigh)

*
*

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Intrincado e Ilógico



Eu tenho-me por uma pessoa inteligente, com um bom sentido crítico, algum conhecimento da língua de Camões e perspicaz. Mas se quero entender metade do que este homem diz, tenho de estar com tanta atenção que até me esqueço de respirar. Dou por mim a suster a respiração enquanto ele indica o número dos gráficos dos documentos de suporte!
O que entendi bem é que no ano que vem me vou fartar de "dar" dinheiro ao estado... e que os senhores vão "avaliar as possibilidades de cortes na despesa". Avaliar? Por que motivo não começam as coisas ao contrário  Primeiro "avaliavam" onde cortar na despesa - e punham as "avaliações" em prática; depois viam o que cada um de nós precisava de fazer para contribuir para a resolução da porra do défice.
Era mais justo.

*
*

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Outra Vez

Deitei-me à meia-noite e meia.
Enquanto rebolava na cama, a última vez que vi as horas eram sete e dez. Da manhã.
Às onze estava acordada.
Foi uma noite maravilhosa.
E o dia promete...

*
*


segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Bora Lá...



Haverá maneira de ignorar os gritos de socorro do nosso corpo e continuar a trabalhar ao mesmo ritmo, ou mais ainda, sem que daqui a uns anos estejamos completamente arruinadas?
É que sentir as articulações a queixarem-se hoje porque amanhã faz sol e amanhã porque no dia a seguir vai chover é do caraças. Do camandro. E de outras coisas começadas por C.

Ainda no outro dia comentei com uma amiga: Como estaremos nós daqui a vinte anos?
Completamente F**idas!!, respondeu ela. Mas a continuar a trabalhar, regardless!
Começo a achar que ela tem razão!

E já não há comprimidos que me (nos) valham...
Bora lá.

*
*