quinta-feira, 30 de abril de 2009

Cai-me Sempre Em Cima...

Imagem tirada da Net... infelizmente



No domingo de Páscoa, bem, para dizer a verdade, no final do domingo de Páscoa, depois de ter comido doces e afins como se o mundo fosse acabar durante a madrugada, tomei uma decisão.
Secretamente, sem fazer alarde, sem apregoar aos sete ventos.
Foi um compromisso feito de mim para mim.
Não porque tivesse medo de falhar aos olhos dos outros e ser forçada a admitir a derrota, mas porque achei que era uma coisa tão pessoal, tão séria, que era só minha.

[...]

Foram inúmeras as vezes em que trocei (que é a palavra bonita quando se quer dizer que se gozou à fartazana com alguém) de uma amiga que num certo lanche anunciou:

- Hoje apetece-me perder a cabeça.

Eu e a outra amiga ficámos expectantes. Ela ia cometer uma loucura e comer qualquer coisa hiper-calórica, cheia de creme e açúcar...
Qual não foi o nosso espanto quando ela pede à funcionária do café:

- Quero um croissant simples, por favor.

Tadinha, o gozo que levou, as gargalhadas que provocou esta atitude "radical", insana mesmo!

[...]

Pois é, cospes para o ar e acaba sempre por te cair em cima.

Já sei que não é uma imagem bonita, mas gozar com a nossa melhor amiga também não é das coisas mais bonitas que se pode fazer.

[...]

No final do domingo de Páscoa decidi que não ia comer mais doces.
Bolos, sobremesas, chocolates, bolachas, pudins, gelados... enfim, decidi prescindir da melhor parte da minha alimentação e começar a comer como uma pessoa crescida, consciente e saudável.

E agora, tudo o que me apetece dizer é:

- Quero um croissant simples, por favor.

*
*
Ah! E devo dizer que depois do desespero inicial, já não penso em doces a toda a hora e estou a cumprir a minha decisão.
Eu quando quero sou assim, valente!
*
*

Vais Gostar, Vais Ver...



Olá Eduarda!

Espero que a tua viagem seja curta e pouco acidentada.
Eu se fosse a ti não demorava muito a chegar, porque estamos todos muito curiosos para te conhecer e a mamã já está a ficar um bocadinho cansada...

Já sei que estás aí muito bem, que está quentinho, que a mamã te protege e te dá tudo o que precisas!
Mas, apesar do que dizem os cínicos, este mundo é uma coisa fantástica. Está cheio de pessoas boas e às vezes até é possível sentir o amor que anda mesmo no ar!
E depois de chegares, ele ainda vai ficar melhor.
Vais ter uma cambada de tios e tias, meios doidos, é certo, mas que mesmo sem te conhecerem já te consideram parte da família.

Vais gostar, vais ver.

Vá lá, porta-te bem, sê uma boa menina e anda conhecer os tios!
*
*

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Eloquência Ébria!



Entrei na farmácia. Nove da noite.

Ao balcão está um casal de cerca de trinta anos, razoavelmente bem vestidos, de óculos de sol na cara e... com um fedor a álcool que não se podia.
A mulher está a tramelar qualquer coisa sobre como aquela pílula não precisa de receita médica, como tem uma carta urgente do médico e mais não sei o quê. O homem manda-a calar com um Shiiu prolongado.

As senhoras da farmácia iam atendendo os clientes que lá estavam e até eu, que cheguei depois do dito casal, fui atendida. Pareciam estar a ignorá-los deliberadamente, como se eles estivessem envoltos numa bolha que os tornava invisíveis, ou então estavam só à espera da polícia.

Entre resmunguices e incoerências, eis que a mulher, bêbeda mas eloquente, vomita a frase da noite:

- Isto não é assim, as consequências vão ter repercussões.

Ah pois é, meus amigos, o que é que vocês pensam? Que lá por estar bêbada e possivelmente pedrada não sabe falar? Que é uma iliterada qualquer?
Não senhor, para quem não sabia, aqui ficam as novidades em primeira mão:
Todas as consequências têm repercussões. Assim como todos os motivos têm uma razão, todo o sofrimento têm mágoa e todos os alcoólatras têm naturalmente um beberrão dentro de si.


E enquanto eu mordia o lábio inferior para não me escangalhar a rir, a actividade nocturna da farmácia foi prosseguindo sem interrupções.
Só não sei o que aconteceu ao casal, mas hoje devem estar cá com uma dor de cabeça...
*
*
Não sei se vou conseguir manter-me afastada daqui! Depois estas coisas acontecem e são boas de mais para não partilhar!!
*
*

terça-feira, 28 de abril de 2009

Quando a Cabeça Não Tem Juízo...

Imagem tirada da Net



Ora bem...
Tinha pensado em trabalhar non-stop até acabar o livro.
Estava determinada a fazê-lo!

Mas eis senão quando ontem de manhã, numa aula de Yoga, ao fazer uma espectacular postura chamada "invertida", dei um jeito aos ombros e pescoço e agora mal consigo mexer a cabeça.
E eu até faço aquilo bastante bem, não tenho medo de cair, costumo aguentar bem a pressão que exerce nos ombros e no pescoço... mas não desta vez. De uma impressão passou para uma dor leve, de uma dor leve para uma moinha aborrecida.

Por isso, custa-me imenso olhar para baixo, e escrever - como estou a fazer agora - é extremamente cansativo e doloroso.
Assim sendo, vou enfrascar-me de comprimidos, esticar-me no sofá e esperar que passe.

E assim se protela a entrega de um livro...
*
*

PS - Já tinha saudades de aqui vir! Isto entranha-se...
*
*

quinta-feira, 23 de abril de 2009

À La Recherche du Temps Perdu




É com alguma tristeza no coração que informo os meus leitores (sim, os dois que me visitam diariamente!) que nos próximos dez dias vou hibernar.
Quem diz dez, diz doze! (Que espectacular aliteração!)

Não me vai acontecer nada de especial, além do facto de ir trabalhar para compensar le temps perdu.
O meu livro está atrasado e, na fase em que está, precisa de bastante dedicação.

Sendo assim (e uma vez que este inesgotável mundo virtual me consome cada vez mais tempo e me entusiasma mais) vou fazer de conta que estou de férias e aproveitar para... trabalhar.

A verdade é que nunca pensei que a blogosfera fosse tão envolvente. Está perto de ser um vício, está de certa forma a sobrepôr-se às minha obrigações enquanto trabalhadora independente. Tenho completa isenção de horários de trabalho, não tenho mapas de produtividade, sou absoluta e completamente senhora do meu tempo - com tudo de bom e mau que essa condição acarreta - e ultimamente não ando a aplicar o meu tempo da melhor maneira.

Por isso, como se aconselha em todos os vícios, vou passar por um cold turkey period.
Vou concentrar-me no livro que tenho em mãos, que não é pêra doce e já devia estar acabado.

Não terei muito tempo para passar nos espaços onde tanta vez me encanto, por isso, não pensem que morri ou que me fartei de vos ler. Vou só fazer uma breve pausa.

Não se preocupem os fiéis leitores (nenhum dos dois) que eu volto.
Volto mais contentinha, realizada e orgulhosa.
Com mais tempo.
E de bem com a vida.

Depois pomos a conversa em dia!
Até breve!

*
*

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Quentes e Boas !


Quentes e boas!
Quando vi o título ainda pensei que tivesse qualquer coisa que ver com castanhas assadas!!
Mas, após cuidadosa análise, constatei que não!

A Ana C. congeminou mais um desafio catita!
São 13 perguntas um pouco mais intimistas, mas igualmente boas de responder.

Ora cá vai!



1 - Qual a música que te dá vontade de fazer amor como se não houvesse amanhã?

Body Rockers - I Like The Way You Move

2 - Qual a música que te dá vontade de meteres prego a fundo quando conduzes?
This may come as a surprise but... eu não conduzo!! Um dia explico melhor!

3- A tua primeira vez foi boa, assim-assim, ou mázinha?
Emocionalmente foi do melhor que podia ser.
Fisicamente foi tão fraquinha, mas tão fraquinha... que não lhe augurei grande futuro! Devo ser bruxa!

4 - Para onde é que olhas logo quando conheces alguém?
Bem, podia dizer: Olho para os olhos porque são o espelho da alma...

Mas não, sou extremamente fútil nesse aspecto!
Olho para o rosto, para a cor dos olhos, para a forma dos lábios, para o cabelo, para o torso, para o rabo (se tiver oportunidade) e para o estado da roupa. Não exactamente para a roupa em si, mas se houver nódoas, borbotos ou buracos, são uns pontitos a menos!!

5 - O que é que ele/ela tem que fazer para que lhe saltes automaticamente para a espinha? Isto não ficou muito bonito, para que lhe caias nos braços, fica melhor.
Basta ser verdadeiramente sedutor e dar-me beijos nos sítios certos.

6 - Qual a coisa mais romântica que já te fizeram?
A coisa mais romântica que me podem fazer é fazerem-me as vontades. Sou extremamente mimada.
Um dia destes disse ao Nuno que me estava a apetecer massa instantânea da Knorr. Ele que me trouxesse um pacote ao vir para casa.
Chegou a casa com oito pacotes de todas as variedades de massa e um brigadeiro de chocolate!
Há lá coisa mais romântica que isto?!!

7 - Qual foi a coisa mais idiota que já fizeste sob o efeito do álcool?
Apanhei uma bebedeira tão grande de aguardente transmontana que fui todo caminho para casa a tremer de frio e agarrada às paredes a fazer perguntas idiotas. No dia seguinte devia ir para casa e não estava em condições. Liguei à minha mãe a dizer-lhe que tinha comido um bolo com chantily estragado!

8 - O que é que é "música para os teus ouvidos"?
No fim de uma refeição:
"E agora, mousse de chocolate, tarte de maçã ou bolo de bolacha?"

9 - Já alguma vez foste o(a) verdadeiro(a) sacana para alguém? Já despedaçaste algum coração em mil pedaços?
Já, várias vezes. E não me orgulho particularmente disso.

10 - Deixas o carro chegar ao fim da reserva, ou vais logo abastecer assim que entra na dita cuja?
É o Nuno que trata dessas coisas e às vezes nem chega a entrar na reserva.
O bebé tem de ter muita papinha!!

11 - Vais sempre pelo mesmo caminho, ou já alguma vez tomaste o caminho mais longo para casa?
Normalmente vou pelo caminho mais curto. There´s no place like home!

12 - Qual o maior balde de água fria que já levaste na tua vida?
"O amor que sentia por ti, dei-o a outra."
Aos 17 anos tudo é gravíssimo. Agora já não parece tanto!

13 - O que é que te tira os pés do chão?
Literalmente, andar de avião: adoro!
Metaforicamente, um abraço bem apertado e um beijo longo, quente e com a dose certa de sofreguidão!


Bem!
Foram tão boas que até estou com um certo calor!!
Ana C: estiveste bem!

Agora vou ler as vossas respostas, porque quase toda a gente que conheço foi "intimada" a responder! It's a small world!!

*
*

terça-feira, 21 de abril de 2009

Há Coisas Que Não se Explicam




Estava a acabar de me recompor das palavras meigas e profundamente inspiradoras que uma alma sábia e querida fez o favor de me dirigir, quando ao lado da minha janela aterrou esta criatura linda!

Não é preciso dizer mais nada.

A natureza tem maneiras fantásticas de nos surpreender e presentear!

;)

*
*

Como Nova...

Adoro o ar simpático desta figura.



Sim, estou como nova!
Não há nada como uma noite bem dormida no fim de um dia repleto de emoções (muitas delas contraditórias).

O corte de cabelo correu benzinho, apesar de ter menos três quilos em cima da carola!
Foi cortar como se não houvesse amanhã.
E já sei que é um grande cliché, mas parece que as mechas de cabelo que caíam no chão levavam com elas as chatices que me andavam a atazanar o juízo.
Há dez anos que não tinha o cabelo tão curto - está um pouco por cima dos ombros (!!) - mas sinto-me muito bem.

De vez em quando faz bem mudar. Em tudo.
No nosso aspecto, na maneira como encaramos alguns aspectos da vida, na forma como olhamos para as pessoas que nos rodeiam...
É tão fácil acomodarmo-nos à vidinha do dia a dia. A fazer tudo igual, a sentir tudo igual.
Quando damos por nós, não há novidade, não há surpresa e os desafios por que antes ansiámos não são mais do que um fardo, uma tarefa a cumprir.
Está mal. Não gosto de sentir as coisas assim.

E como nunca fui de deixar as coisas passarem por mim, detesto o marasmo e a letargia, comecei a semana cheia de vontade de melhorar, de encarar as coisas de frente, sem as adiar, sem arranjar desculpas.
Ainda que o meu começo tenha sido numa terça-feira, que a segunda foi para esquecer.

Hoje acordei às 6 da manhã.
Sei que às 6 da tarde vou estar cansada, mas tenho também a certeza de que estarei com a sensação de dever cumprido e não com a sensação de frustração e apatia que me acompanhou nos últimos dias.
*
*

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Imagem tirada da net



Hoje não é um bom dia.
A puta da insónia, que já não me visitava há algum tempo, decidiu dar um ar da sua graça na noite passada.
Odeio ficar na cama às voltas como se fosse um frango de espeto, sobretudo quando preciso de trabalhar no dia seguinte. E levantar-me não adianta um car@lhinho.

Hoje não me apetece ser simpática, bem educada nem sequer politicamente correcta.
Dói-me o corpo todo, incluindo a cabeça.
Vou andar o dia inteiro a cair de sono, mas se me deito agora, logo à noite tenho o mesmo fado.
Apetece-me insultar meio mundo e mandar o outro meio à merda.

Vou cortar o cabelo.
E comprar umas merdas.
E não, não vou trabalhar, e daí?
*
*

sábado, 18 de abril de 2009

Arrepios!


A Mariinha, que tem a Mansarda mais charmosa não só de Lisboa, mas de toda a blogosfera, teve a gentileza de me enviar este prémio!

Obrigada Mariinha, eu é que fiquei arrepiada!

É engraçado pensar que pessoas que não conhecemos pessoalmente lêem as taralhoquices que escrevo e que, vá-se lá saber porquê, lhes encontram algum interesse ou lhes acham alguma piada.
É giro.

Agora, pelos vistos a atribuição deste prémio pressupõe algumas regras. Mas como a maior parte dos cantinhos virtuais que gostaria de premiar já foram contemplados por outras pessoas, vou, mais uma vez, subverter as regras e deixá-lo aqui para quem quiser!

E agora vou fechar a janela, que está aqui uma corrente de ar que até arrepia!!
*
*

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Paraíso?!!

Adão e Eva, maravilhosamente pintados por Rubens


Mandaram-me esta chalaça por mail e achei-lhe piada!

*

Depois de mais um reunião da CE, alguns Ministros resolvem passear pelo
Louvre para "aliviar" o stress.
Param a observar um excelente quadro de Adão e Eva no Paraíso.


Desabafa Angela Merkel:
- Olhem que perfeição de corpos: ela esbelta e delicada, ele com um corpo
atlético, os músculos perfilados... São estereótipos alemães, naturlich.


Sarkosy reage de imediato:
- Non, je crois pas. É evidente o erotismo que se depreende de ambas as
figuras... ela tão feminina... ele tão masculino... sabem que a tentação chegará em breve... Só podem ser franceses.


Abanando a cabeça, Gordon Brown arrisca:
- Of course not! Reparem... a serenidade dos seus rostos, a delicadeza da
pose, a sobriedade do gesto... Só podem ser Ingleses.


Depois de alguns segundos de contemplação, Sócrates exclama:
- NÃO CONCORDO. Reparem bem: não têm roupa, não têm sapatos, não têm casa,
só têm uma maçã para comer... não protestam e ainda pensam que estão no
Paraíso... Não tenham a menor dúvida, são portugueses!


Ah pois é!

É um país de merda, mas foi o que se pôde arranjar.
Certa vez, um professor de história disse na brincadeira:
"Se o pessoal do século XV e XVI não tivesse gasto tanto dinheiro em pedras preciosas e tecidos finos, hoje éramos dos países mais ricos da Europa".

É claro que este professor ainda não conhecia o executivo do senhor Sócrates!

Eu cá estou como o outro, é graças ao terrível governo actual e aos igualmente terríveis governos da última década que os portugueses não vão sentir tanto a crise. Qual crise? Está tudo tão mau quanto antes. Nunca esteve pior? Pois não, mas também nunca esteve melhor.
Aguentemos, portanto.
Se bem que hoje até do governo gosto!! Não tenho de pagar IRS!!)

*
*

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Chegou o Dia...



Hoje vou entregar a minha declaração de IRS...
Até tenho medo!
Se tenho de entregar mais um tostão ao Estado dá-me um fanico dos grandes.
Cambada de parasitas.
*
*
Adenda!
Afinal parece que não vai correr mal!!
C'mon!!
*
*

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Depois a Culpa é do Tradutor!



É pá!
Se não sabem fazer as coisas como deve ser, não façam. Ou contratem quem sabe fazer!

Deparei-me com esta pérola da tradução num desmaquilhante para olhos.
Da tradução à translineação, está tudo mal!

Amigos, ao mudar de linha, ninguém separa sílabas!

Não se escreve : resi
stante
Ou "formule", pelo menos, não em português.
Não se diz "permite de eliminar" e muito menos "permite ate os olhos mai
s sensiveis poder utiliza-lo"

Para não falar na completa inexistência de acentuação.

Não! Não!
Tautau no cu dos senhores!

Isto está à venda e para cumprir a lei deve ter uma etiqueta de tradução em português. A lei não está então a ser cumprida, porque isto não é português, nem aqui nem na China!!

Depois a culpa é do tradutor. Ponho a minha mão direita no fogo, que é a que me faz mais falta, em como isto não foi traduzido por uma pessoa com o mínimo conhecimento, e/ou respeito, pela tradução.

Mas este trabalho presta-se muito ao "ah e tal, eu até tenho umas luzes de espanhol/ inglês/francês/ italiano/ russo/ urdu/ mandarim, portanto deixa cá ver que eu faço. Por meia dúzia de palavras é escusado estarmos a pagar a um tradutor armado ao pingarelho".
Pois é sim senhor, é escusado. E o resultado está à vista!

Depois dizem que "traduttori traditori"
Bahh!!
Não se metem a fazer o que não sabem.

Eu não ando a arranjar motores de automóveis, a instalar tectos falsos, nem a fazer experiências com químicos. Porquê? Porque não o sei fazer.
O que sei fazer são traduções.
Por isso, cada macaco no seu galho, cada periquito no seu poleiro!
Certo, senhores dos supermercados? Certo!
*
*

sábado, 11 de abril de 2009

Segredos de Beleza!

Foto tirada da Net (naturalmente!)


Ora bem, a Joanissima, que é uma cusca (!!), quer saber os meus sete, sim todos os SETE, segredos de beleza que me acompanham no dia a dia!!

Eu ainda tinha pensado em partilhar apenas três ou quatro, para não ser mázinha, mas não. Parece que tenho de me desbroncar completamente.

Vou já avisando que embora ache que sorrir e ser feliz é meio caminho andado para se ser bonita, se o corpo estiver num caco e o rosto feito num bolo, não há beleza que resista!

Sendo assim, vamos lá a ver coisinhas práticas e potenciadoras da minha estonteante e inigualável beleza natural!

1 - Bezunto-me com tudo o que é cremes. Para o rosto, para os olhos, para as pernas, para o corpo. Para de dia, para de noite e para assim-assim. Se for parecido com chantily e cheirar bem, contem comigo que eu uso. Gosto do acto de mimar a pele e sinto-me mais fofinha no fim. Como neste caso os fins justificam os meios, vamos lá albardar bem o corpinho!

2 - Faço exfoliação ao corpo uma vez por semana e ao rosto faço um peeling levezinho três vezes por semana (temporariamente e por indicação expressa da menina do instituto de... beleza, lá está!!) , seguido naturalmente de muito creme hidratante.

3 - Adoro maquilhar-me, ou como costumo dizer: "pôr uma corzinha no rosto". Gosto de produtos que não sejam pegajosos nem oleosos e bases só aquelas em pó (para contrariar a tendência dos cremes!).

4 - Vou ao ginásio mais ou menos cinco dias por semana. Faço todo o tipo de aulas e um bocadinho de musculação (mas desta gosto menos!). Não o faço por fanatismo, mas porque sinto que estou a melhorar o meu estilo de vida, e obviamente, a supra mencionada beleza avassaladora, quase sobrenatural!

5 - Embora me destrave completamente no que diz respeito aos doces, procuro ter cuidado com a restante alimentação. Bebo muita água, não como fritos, evito carnes vermelhas e enfio todos os vegetais possíveis e imaginários na sopa (assim vai tudo e quase não dou por ela!). Sim que o que comemos também se reflecte no exterior.

6 - Uso dois perfumes há milénios! Um para o Inverno (Dolce e Gabbana) e outro para o Verão (Light Blue... tcham tcham tcham tcham... da Dolce e Gabbana!!) Não consigo usar mais nada, porque estes são os meus cheirinhos. Não há nada melhor que usar um cachecol com aquele aroma doce e quentinho! E se um dia os senhores deixarem de fazer estes dois perfumes dá-me um fanico!

7 - Por último, e para não ser tudo tão prático e factual... Amo muito! Deixo-me apaixonar pelas coisas mais simples sem receio de ser parola (tipo criossants, música, filmes piegas, bons amigos and so on and so forth!!) e não tenho medo de o dizer!

E pronto, cá está a verdade verdadinha. Ainda bem que não eram dez segredos de beleza, senão ia ter de confessar que uso uma cinta elástica dos joelhos até aos sovacos, que aparo o buço todos os dias de manhã e que guardo a dentadura numa emulsão de bicabornato de sódio!

Como se pode constatar, os meus segredos de beleza são simples, indolores, têm patente registada e resultados comprovadíssimos! (Eu hoje estou mesmo com o ego lá em cima!!)
É do sono. Só pode.
Talvez seja boa ideia ir dormir.
*
*

Margaridas



De entre as flores que a Mariinha ofereceu aos seus amigos cibernautas, escolhi as margaridas.
Porque a simpatia e a gentileza devem ser reconhecidas e valorizadas.
Obrigada!
*
*

sexta-feira, 10 de abril de 2009

Vidas Difíceis!


Por que motivo uns podem dormir sem remorsos e outros têm de se levantar e trabalhar?
Fica a questão!...
*
*

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Uma História de Amor



A Ana C. fez-me um desafio delicioso, como só ela poderia fazer.
Consiste em contar uma, a nossa, história de amor.
No meu caso não foi preciso pensar muito.
Sempre me encontrei rodeada de amor, mas A minha história de amor é só uma.
É só minha e não a dou a ninguém.

[...]

Há coisas que acontecem porque têm de acontecer.
Por muitas voltas que a Terra dê, há sempre surpresas que nos estão destinadas e que mais cedo ou mais tarde nos caem no colo.

Quando acabei o secundário queria ir estudar para Coimbra. Por vários motivos que não interessam nem um pouco nesta história, na minha cabeça já tinha organizado os próximos quatro ou cinco anos. Em Coimbra.
Ao preencher a ficha de candidatura ao ensino superior, no meio da galhofa com os meus amigos, enganei-me no código de uma universidade. Mas na altura não dei por nada. Passei o verão feliz da vida porque tinha a certeza inabalável que, com as notas que tinha, ia para a UC.
Chegou-se Outubro e, surpresa das surpresas: não entrei na UC, mas sim na Universidade do Minho.
Do Minho?!!
Say what?
Depois de alguns momentos de perplexidade percebi que tinha entrado precisamente na única faculdade que não tinha escolhido, naquela cujo código tinha trocado com o de outra (ainda hoje estou para saber qual!).
Chorei baba e ranho.
Não conhecia ninguém em Braga, nunca tinha visitado a cidade e era longe de caraças.
Nem consigo descrever a primeira viagem de comboio que fiz até Braga. Dizer que vim todo o caminho a chorar é pouco.
Mas vim.

É claro que estas coisas não acontecem por acaso.

Um mês depois de ter começado as aulas (e já com um grupo de colegas castiços, tão adeptos da borga como eu), fui a uma festa de anos do amigo de um colega de curso.

O aniversariante era um tipo de barbicha à volta do queixo, gorro de lã na cabeça, calças rasgadas nos joelhos e um sorriso desarmante.
Apesar do ar de reguila era mais tímido do que qualquer outro rapaz que já tinha conhecido e, embora o tivesse acabado de conhecer, passei a noite a meter-me com ele.
Não quero alongar-me em detalhes, mas uma semana depois demos um primeiro beijo. Completamente inesperado, muito inconsequente e sem grande ponderação.

Apesar de numa fase inicial não ter pensado muito no que estava a acontecer, a verdade é que me deixei envolver pelo charme daquele tipo divertido, que me fazia rir como ninguém, que estava sempre bem disposto e que depressa se tornou num bom amigo.
O melhor, com o avançar do tempo.

Passámos por todas as experiências juntos. Boas e más.
Como típicos estudantes, andávamos sempre tesos como uns carapaus, mas arranjávamos sempre uns trocos para mais uma tequilla ou um B52's (os meus favoritos na altura!)
Faltávamos às aulas para ficar a dormir, ficávamos a conversar até às seis da manhã, vivíamos sem pensar que estávamos a construir alguma coisa e não fazíamos planos para a sua duração ou intensidade.
Crescemos muito um com o outro.

As coisas foram acontecendo e nove meses depois decidimos ir viver juntos.
Até hoje.

O Nuno é definitivamente o amor da minha vida.
Não a consigo imaginar sem ele, como um dia não a imaginava com ele.
É com ele que dou as melhores gargalhadas, que me sinto mais eu.
Gosto da maneira pacífica como encara a vida e gostava que existissem mais pessoas como ele.
Ele vê o meu melhor e o meu pior e ainda assim diz que me adora.
É o meu melhor amigo, o melhor amante, o melhor companheiro, a melhor parte de mim.
E são poucas as vezes que nos passamos um com o outro.

Começámos a brincar, sem grandes ambições. E deu certo.

Porque havia um plano superior para juntar uma ribatejana que vai contrariada para o Minho e um Portuense, nascido em Angola, que vai estudar para Guimarães e, também por engano, aluga casa em Braga.

E eu nem gosto de deixar que o destino tome as rédeas da minha vida. Mas às vezes mais vale.
*
*

terça-feira, 7 de abril de 2009

Olha Qu'engraçado!


Recebi um prémio!

Depois de andar aqui uns dias um pouco apardalada com as amigdalas ao peito, eis que recebo um prémio. E não é um prémio qualquer! É um galardão que premeia os Jovens Que Pensam.
Caramba, não deve haver nenhum prémio que condiga tão bem comigo.
Sim, porque apesar do número de anos que os meus pais insistem que eu tenho, eu cá acho que continuo a ter a cabeça fresca (às vezes até fresca de mais) e encaro a vida com jovialidade, alegria e um pouco de estupidez natural - tudo premissas da juventude, portanto.

Quanto à questão do Pensamento... bem...
Quando era adolescente, ia para o meu quarto e ficava deitada na cama, às escuras, muito sossegadita. A minha mãe, sentindo-me demasiado parada achava que não podia estar a fazê-la boa e irrompia pelo quarto com a célebre pergunta:
- O que é que estás a fazer, Ana?
Resposta em tom calmo e absolutamente natural:
- Estou a pensar.

Este hábito mantêm-se, mas por vezes tem os requintes de malvadez próprios de quem pensa no que não é preciso pensar.
Sou capaz de construir qualquer história, qualquer argumento ou catástrofe tendo como base uma simples frase que alguém deixou escapar; muitas vezes contrariando toda a lógica e ignorando os indícios mais evidentes capazes de derrubar a minha teoria.
O resultado nem sempre é o melhor.

E este prémio vem mesmo a calhar, porque ontem demorei demasiado tempo a adormecer... estava ocupada a pensar em coisas que (desta vez) não fazem sentido.

Enfim...

Agora devo indicar quem me atribuiu o prémio. Foi a Naná, daqui. E a ela agradeço com um sorriso!

Tenho também de deixar registadas as regras:

1. Exibir a imagem do prémio

2. Postar o link do blog que o premiou

3. Indicar dez blogs para fazerem parte do “Manifesto Jovens que Pensam”

4. Avisar os indicados

5. Publicar as regras

Para cumprir a regra número 3 vou então oferecer o prémio a 8 blogues e passo a explicar porquê a 8: Porque apesar de visitar assiduamente mais alguns blogues, estes oito são aqueles onde encontro reflexões variadas e não apenas relatos sobre o dia a dia dos seus proprietários. Aqui encontro gente que também pensa em tudo e mais alguma coisa. Como eu.
(E claro, é sempre bom subverter as regras!!)

Cá estão:

Digo Eu Com Os Nervos
A Vontade do Regresso
Uma Mansarda em Lisboa
Optimistas são Pessimistas Mal Informados
Falamos Depois sff
Vinte e Um Gramas
Cheirinho a Éter
PLEASE CATCH THE COW

Agora é convosco!
*
*

sábado, 4 de abril de 2009

E O Veredito É...




...uma bela de uma amigdalite!

Cabrona.

*
*

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Os Bancos e a Crise

Imagem tirada da Net


Ontem, no programa do Rodrigo Guedes de Carvalho fez-se uma pergunta que para mim é umas das questões fundamentais no que diz respeito às práticas bancárias da actualidade.
A pergunta era: Será que os bancos facilitam o crédito excessivo?

E a minha resposta é: Não só facilitam como também incentivam.

É que nem de propósito, ontem à tarde, recebi um telefonema em nome meu banco (sim, que eu também sou dona de um banco!!) e tive a conversa mais surreal do mundo com a operadora de telemarketing ou lá o que aquilo é.

Foi mais ou menos isto:
- Boa tarde, senhora dona Ana C.M.L., daqui fala do banco xpto, como está?
- Bem obrigada.
- Senhora dona Ana C.M.L. (porque é que dizem sempre o nosso nome completo?!), o momento é oportuno para lhe colocar algumas questões?
- Olhe, nem por isso porque me doi imenso a garganta, mas diga lá.
- Senhora dona Ana C.M.L. gostaríamos de saber se há algum projecto que gostasse de realizar, alguma ideia que quisesse pôr em prática, uma iniciatia que gostasse de tomar?
- Não.
- Muito bem, e não tem nenhum sonho por realizar, uma viagem para fazer, qualquer coisa assim?
- Não.
- Senhora dona Ana C.M.L, deixe-me então colocar-lhe uma última questão. Há alguma soma, ou verba de que precise e que lhe possamos disponibilizar?
- Não, obrigada.
- Muito obrigada, senhora dona Ana C.M.L e obrigada pelo tempo que nos dispensou.
- De nada.

Ora desculpem lá, mas se isto não é incentivar o crédito de consumo, é o quê?
Felizmente não preciso, porque o que recebemos ainda vai dando para comprar batatas e cebolas para a sopa, mas se estivesse à rasca de dinheiro é claro que aceitava uma oferta tão óbvia.
Depois, ao ler as letrinhas pequeninas acabaria por me aperceber que a taxa de juro era uma exorbitância e que daqui a dois ou três meses ainda estaria mais enterrada em dívidas do que estava antes de aceitar tão generosa oferta. Que é certamente a situação actual de muito boa gente.

É de mim, ou anda tudo a ver se as pessoas se endividam cada vez mais?
Quando é que isto pára?
Quando já não houver bens para penhorar, quando já não existirem casas para dar como garantia?
Como é que as pessoas que se vêem enredadas neste sistema conseguem voltar à mó de cima? Como é que se pagam dívidas com dinheiro que não se tem?

Chiça!
*
*

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Ai, ai...

Imagem tirada da Net


Sinto-me mais ou menos como o estiloso da imagem.

Ou pior.
Dói-me a garganta de caraças.
Ontem já doía, mas hoje está a rebentar...
As amígdalas não estão do tamanho do costume - passaram de pequenas azeitonas para quase bolas de pingue-pongue (pronto, talvez esteja a exagerar um bocadinho, não costumam ser do tamanho de azeitonas!!) e até o interior da boca me dói.
Se tivesse um trabalho normal, tinha ficado na cama a dormir a e descansar as fadigas, mas como trabalho em casa, não me safo e tenho de bulir como se nada fosse.
E como não posso falar muito, só tenho duas palavras a dizer: ora foda-se!
*
*

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Um Ano...




O tempo passa tão depressa.
Nem dou por ele. Parece que não tenho voto na matéria quanto ao voar dos dias.

Faz hoje um ano que o meu avô morreu.
Para mim ainda parece que foi ontem.
Ou por outra, ainda me parece que ele não morreu.
E não, infelizmente não é mentira.
Quando olho para a fotografia que tenho dele, parece-me que ainda aqui está.
Porque está.
Há um ano que tenho mais um anjo a velar por mim.

Por isso é que tenho tanta sorte e sou tão feliz.
*
*

Dia Das Mentiras!

Imagem tirada da Net



Hoje é dia das mentiras.
E agora pergunto eu, que normalmente me insurjo contra estes dias de "isto e daquilo", por que raios é que se instituiu um dia para se dizerem mentiras?
Para homenagear o Pinóquio?
É que se pelo menos as mentiras que se ouvem por aí tivessem piada...

Vivo em Braga.
E hoje à hora de almoço, no restaurante onde estava, ouvi dizer:
"Ah, o César Peixoto vai para o Benfica".
E pensei cá para mim - sem abrir a boca, claro:
"Nesta altura do campeonato??"
Suspense na sala...
Uns segundos depois, diz um senhor:
"Oh! Hoje é 1º de Abril!! É dia das mentiras!"
Gargalhada geral.
Imaginam como respirei de alívio, já estava a ver a vidinha do César P** virada do avesso a meio da época!

Não percebo a utilidade, a piada nem coisa nenhuma.
Que raio de mania cultivar dias de tudo e mais alguma coisa.

Eu só adiro à moda quando instituírem um Dia Mundial da Preguicite Aguda!

** Já agora, no outro dia vi o César Peixoto na pastelaria. Estava de havaianas e tinha as unhas dos dedões dos pés pintadas de preto!! Fora isso, estava tudo em ordem!


*
*