sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

One Down, Four to Go!


Já está!!
Consegui entregar o livro sem estourar o prazo!
Foi feito em tempo record, com um ritmo certinho e está muiiiiiito bom!

Quem não concordar que me desculpe, mas sim, hoje sinto-me A MAIOR!

O próximo vai ser a doer! Mas aposto que a satisfação que vou sentir quando o acabar vai ser ainda melhor e maior.

É em dias como hoje que percebo que vivo para isto. Adoro o que faço e apesar de por vezes me arruinar o corpo, jamais podia encontrar esta satisfação a fazer qualquer outra coisa!

Verde!!

Imagem tirada da Net



Aproveito para afirmar que, num acto de puro desafio às vozes que se regozijam com os infortúnios do meu clube do coração, o SPORTING, naturalmente, decidi mudar a imagem do tasco para este verde liiiindo!

Isto andava um bocado azul!

Agora sim, parece-me bem.

E não me massacrem o juízo se um dia destes mudar para rosa choque!!

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Optimismo...

Imagem tirada da net



Gosto de visitar este blogue; a escrita é inteligente, variada e tem piada, mas confesso que não concordo nada com o título. E é apenas sobre o título que me debruço, sem qualquer crítica ao referido blogue e muito menos à sua autora.

"Optimistas são pessimistas mal informados".

Eu que tento ver sempre o lado positivo da coisa considero que por vezes a falta de informação é uma verdadeira bênção - atenção que eu disse por vezes! - e não é de todo o que motiva o meu optimismo.

Podia ser pessimista e depois ficar contente quando afinal as coisas correm bem - porque elas correm quase sempre bem, pelo menos para mim - mas grande parte da piada das coisas reside no facto de as anteciparmos para depois constatarmos que a realidade é melhor que a imaginação. Quando o quase entra em acção e a realidade não se equipara à imaginação é porque não tinha de ser, porque alguma coisa ainda melhor está para vir.

Os optimistas são pessoas mais felizes, menos cinzentas e recebem o que a vida lhes dá de braços abertos, cientes de que mesmo que não pareça, alguma coisa boa dali advirá.
Mas não sou como as mulas, que só vêem o que as palas lhes permitem e não se apercebem do que as rodeia.

Já me desafiaram a encontrar um aspecto positivo na fome que assola o terceiro mundo e não fui capaz.
Já me desafiaram a encontrar um sentido para as doenças que mais afligem a humanidade e também não consegui.

Porque há coisas que também ultrapassam uma optimista bem informada.

Mas continuo com a esperança de que a escassez de comida para aqueles que precisam acabe um dia; e que se encontrem as curas para todas as doenças.
Prefiro acreditar que pouco a pouco as coisas se vão resolvendo.

E vou fazendo o que posso, porque o optimismo se não for activo também não serve de nada.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Cansada

Imagem tirada da net - mas estranhamente parecida comigo!


Estou mesmo muito cansada.
Mas com a sensação do dever (de hoje) cumprido.
Amanhã há mais...
Vou dormir. Se conseguir ir até à cama...

Só Para Que Conste...

Imagem tirada da Net



O Carnaval não me diz nada.

Desde que me lembro de desfilar vestida de enfermeira numa fria manhã de Março, com um relógio ao peito, chapelinho na cabeça e uma enorme seringa de plástico na mão, que não gosto de me mascarar.
E coitadas das criancinhas vestidas de Harry Potter, de Pato Donald ou de Noddy (que são às resmas) e que rapam um frio desgraçado se o santo do Entrudo não estiver bem disposto.

Parece-me idiota.
Não vejo fundamento.
Embora conheça muita gente que se diverte à brava!

Também não acho grande piada ao Carnaval do Rio, que ao fim de três escolas de samba só já dá vontade de vomitar com o enjoo e não sou elitista ao ponto de subir para os saltos e dizer: ai, eu gosto é do Carnaval de Veneza. Porque é mais sóbrio, mais elegante... e igualmente sensaborão, digo eu.

Que me perdoem os foliões, mas a mim não me convencem a aderir.

E não, não sou nada cinzentona e muito menos rabugenta!
Não preciso é de dias marcados para festejar, rir, dançar músicas palermas e ser foliona!

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Magnetom!

Imagem tirada da net


Ora bem...
É uma maquineta que impõe algum respeito.
Só o nome já intimida.
Magnetom.
(Estava à espera de ver surgir um Transformer a qualquer momento!)

A sensação é um nadinha assustadora, aflitiva, claustrofóbica e potencialmente terrífica!
O melhor é fechar os olhos e pensar em coisas lindas... e amplas!

Mas não é mau.

O pior de tudo foi ter de ficar muito quietinha. Os bichos carpinteiros viram-se gregos para sossegar durante quinze minutos e já me estavam a deixar o corpo dormente, de tanto se mexerem cá dentro.

Já passou.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Com Uma Família Assim...

Imagem tirada da Net



Tenho uns vizinhos cujo retrato de família podia ser este.
De tão simpáticos e civilizados que são.

Ora pergunto eu, quando um lençol da vizinho cai na nossa varanda e nós nos dirigimos ao andar de cima para entregar o dito cujo, não será pelo menos de bom tom agradecer e pedir desculpa pelo incómodo que foi subir quatro lanços de escadas e dar o seu a seu dono?

Eu acho que sim.
Mas há quem ache que basta dizer:
- Oh, raios partam o vento!

Pronto, é uma daquelas coisas.

Mas no dia seguinte quando nos cruzamos com a mesma vizinha no átrio do prédio e nem bom dia nos diz, isso não é falta de educação?
Já nem falo em gratidão, que também era só um lençol, mas um bom dia deseja-se a toda a gente.
Ou não. Pelos vistos não.

Ora toma lá que é para aprenderes a não ser simpática com as pessoas! Parece que não sabes que mundo é este em que vivemos.

Porque a educação é muito bonita e recomenda-se.
Mas quando não se recebe de pequenino, dificilmente se ganha em adulto.

Assim sendo, BOM DIA A TODOS, sim?!

sábado, 14 de fevereiro de 2009

Hora Mágica...


Não há altura mais bonita e mágica que o entardecer.
O dia já acabou, mas o lusco-fusco traz consigo mil promessas para a noite que se aproxima...

Mágico.

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Ghostbuster!



Tudo bem que não é a imagem da Virgem Maria numa tosta mista, nem o semblante carregado de Jesus numa nuvem, ou tão pouco o perfil do Cristiano Ronaldo numa brasa da lareira, mas este fantasminha feito de Vaqueiro que apareceu na minha frigideira quando me preparava para cozer um belo Spaghetti Bolonhese é assustador.
Não me deixei enganar pelo seu ar simpático, pelo sorriso malandro nem pela forma redondinha e anafada com que se apresentou.
Não me deixei enganar porque sei bem qual era a intenção dele... Sim que ainda elas vêm no ar e já eu estou a apanhá-las!

O que este mafarrico queria dizer era qualquer coisa do tipo:

- Ah pois é! A enfardar massa desidratada cheia de molho, gordura, queijo e conservantes! Porque é que não comes uma massinha fresca com um bifinho grelhado e umas gotas de limão? Depois é ver-te fazer queixinhas porque tudo o que devoras se acumula no mesmo sítio do teu corpo!

O cabrão do fantasma!

Lá porque ando a comer como se não houvesse amanhã, não lhe dou o direito de mandar bitaites sobre os sítios do meu corpo onde há mais ou menos acumulação de nutrientes... Eu desgasto bem! Faço muito exercício e até já consigo vestir (e apertar) aquelas calças da Mango que me estavam apertadas - e não, não foi a ganga que alargou!

Resolveu-se o problema num instantinho: aumentei o lume do fogão e bye-bye fantasminha! Vai lá azucrinar o juízo a outra! Que eu sou mais eu!

A massa? Bem, estava uma delííííícia!!


Nota: Só me coloco a seguinte questão: quando é que a minha consciência se transferiu para um borrão de margarina?...

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Copo Meio Cheio

Imagem tirada da Net


Em tempos de crise quando todos os noticiários abrem com reportagens de mais uma, ou várias, fábricas que fecharam nesse dia, quando meio mundo anda à rasca de dinheiro e sem saber como pagar a casa, o carro, a comida e os livros e roupas dos filhos, parece-me mal ouvir gente que vive bem (a outra metade do mundo) a queixar-se porque este ano não conseguiu ir de férias para os Pirinéus e "teve" de ir para a Serra da Estrela.

Parece-me mal que as pessoas se queixem quando têm tanto.

Parece-me mal não por algumas delas viverem melhor que eu, mas porque é uma falta de sensibilidade em relação aos restantes e uma falta de gratidão em relação à vida que têm. Porque há muita gente que precisa de dinheiro para comprar medicamentos e não o tem. Há muita gente que (sobre)vive com a ajuda de familiares porque a fábrica onde trabalharam durante 30 anos fechou de um dia para o outro. Há muita gente que sonha em passar um dia na Serra da Estrela e não pode lá ir.

Que tal fazermos todos um exercício verdadeiramente radical e pensarmos nos aspectos positivos das nossas vidas e na sorte que temos por haver dinheiro para comprar umas botas novas, um saco novo - que não era preciso para nada - uma saia nova, um telemóvel novo e, sim, porque não?, para irmos de férias para a Serra da Estrela?

Que tal parar com as queixinhas e ver definitivamente o copo meio cheio?

Por isso, apesar de estar no limbo entre um mundo e o outro - preferia não ter casa para pagar, mas já que os senhores do banco insistem o que é que se vai fazer?! - não me posso queixar da vida. Sobretudo porque vou tendo algum trabalho e muiiiiita vontade de trabalhar (que ao que parece também não abunda por todo o lado, mas isso já são outros quinhentos).

E por falar em trabalho...
;)

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

De Volta!




Depois de uma grande, grande estafa que me isolou literalmente do mundo exterior durante uma interminável semana (estive de domingo à ouuutra segunda sem sair da frente do pc), lá consegui arrumar as malas e ir de férias para a neve!

Respirar ar puro, caminhar na neve, comer bem, dormir melhor e outras coisas que não são pr'áqui chamadas deixaram-me como nova!
Foi só uma semana, mas soube pela vida!
Jamais subestimarei o poder renovador de oito pequenos e frios dias, que embora tenham passado depressa foram plenos de aventura, magia e dolce fare niente!

Agora... ao trabalho!
As always!