terça-feira

Idiotas e sarcásticos.


Funny Ecard: I just rolled my eyes so hard I think I saw my brain.:


Há uma cena que acho que preciso de fazer, mas como leva tempo e exige muita dedicação, tenho primeiro de pensar bastante sobre o assunto, sobre a metodologia e sobre a execução.
Embora na maior parte das vezes não exteriorize nem me manifeste, as pessoas irritam-me.
Assim, na generalidade. As pessoas enquanto substantivo coletivo, sendo que consigo isolar algumas individualmente, passe a redundância.

Irritam-me as pessoas que tratam toda a gente por tu nas publicações inspiradoras que partilham nas redes sociais: Vai, porque tu consegues! Quando sentes que a vida está a ir com os porcos, levanta os braços e vai à luta! Tu consegues! Levanta o rabo do sofá e faz-te à vida! Tu consegues!!

Irritam-me as pessoas que estão sempre a fazer choradinhos e a colocar a casca de ovo do Calimero na cabeça: Ohh! A minha vida é tão difícil. Ohh! Tenho tantas dores de coração. Ohh! Ainda estou  tão longe do meu objetivo. Ohh, não consegui correr um quilómetro em 30 segundos! Ohh! Ninguém está para me aturar. Ah, pois não!

No seguimento desta irritação, irritam-me as ovelhas estão para as aturar, que vêm passar a mão pelo pelo e que respondem cegamente ao choradinho: Ohh, mas tu és uma guerreira, lutas pela vida! Ohh, quem me dera ter a tua força e dedicação! Ohh, quem me dera poder treinar/comer/beber como tu! Ohh, mas vais ver que o teu príncipe vai chegar e o coração vai melhorar! Ohh, mas já estás uma brasa; estás tão magra; estás linda; quem me dera a mim! És uma guerreira! Ohh, estou cá eu para te ouvir sempre que precisares! Ohh, és uma guerreira! (Esta irrita-me particularmente, não sei se dá para ver.)

Irritam-me as pessoas que insistem em partilhar os dados - números, estatísticas, tempos - dos treinos, como se isso interessasse a mais alguém que não aos próprios. Ouçam, ninguém quer saber! Ninguém está a olhar para quantas calorias queimaram, nem quantos minutos levaram a fazer um quilómetro! 

Irritam-me as pessoas que continuam a partilhar fotografias de copos de skyr, como se encontrar a porra do iogurte fosse por si só um ato de valentia. É iogurte, não é nenhum troféu e garanto-vos que ninguém vai ficar subitamente magro e fit por comer iogurte! É iogurte!!
Neste campo da comida, nem vou entrar no que me irritam os pequenos almoços fit, só com claras de ovos e pós milagrosos, porque tenho um livro para acabar e o tempo escasseia!

Além disto, irrita-me a sobrevalorização da sexta feira e a desvalorização da segunda. Coitadinha da segunda, que é um dia tão fixe e útil como os outros anda sempre com uma nuvem cinzenta atrás. 

Enfim, estas são apenas algumas das (muitas) coisas que me fazem comichão nas meninges. Também sei que todas as minhas irritações são absurdas, coisa que por si só me irrita! Por isso, urge fazer alguma coisa, porque ando farta de revirar os olhos e parecendo que não, isso mexe com a vista.

Tenho de fazer as pazes com a humanidade. Com as pessoas.
Tenho de ver as coisas pelo que elas são: maioritariamente pedidos de atenção, de mimo, de validação. E pensar no que está por trás. Pensar se posso fazer alguma coisa para ajudar em vez de julgar.

Tenho de fazer o que quero que façam comigo, que é deixarem-me em paz na minha vidinha e que se borrifem para mim quando partilhar, disser ou fizer alguma coisa que possa irritar os outros. 

Tipo escrever textos idiotas.


*
*






Sem comentários: