terça-feira

Booklion!

"I think books are like people, in the sense that they'll turn up in your life when you most need them." Truth!:



Hoje estive a atualizar o meu currículo. Tenho a sorte de poder acrescentar de vez em quando mais alguns títulos à lista de livros traduzidos.
Este último ano e meio foi tempo de retemperar forças, de abrandar um pouco o passo, de dar espaço ao corpo e à cuca. Fiz menos livros do que nos anos anteriores, mas para dizer a verdade acho que se não tivesse abrandado teria dado o berro muito em breve. Acho que nos primeiros anos de trabalho exclusivamente dedicado à tradução fiz mais do que devia, não soube dizer não algumas vezes e devia ter dito, achei que podia abusar do corpo, da cabeça e que podia com tudo "Venham eles que dou conta do recado". E dei. Mas esgotei-me um bocadinho. 
Precisei de abrandar e de cuidar também de mim. 
Agora já cuidei, já abrandei, já aprendi a gerir e a respeitar o meu esforço e o tempo. 
Agora estou pronta!
Amo o meu trabalho, nem sei explicar o que sinto quando começo e acabo um livro novo! No meio queixo-me e choramingo como toda a gente, mas o momento em que escrevo na minha folhinha Word as palavras "Capítulo UM" e depois, semanas mais tarde "FIM", invade-me uma sensação de felicidade tão idiota que às vezes até choro. (Coisa que quem me conhece não estranhará, que eu choro com os anúncios do Skip, mas enfim!) 
Vivo para estes dois momentos, para o início e para o fim das minhas traduções. Vivo para os livros.

E há pouco, quando estava atualizar o currículo, contei com o indicador, para não me enganar, os 74 maravilhosos títulos (uns mais maravilhosos do que outros, é certo) que me enchem já três páginas. 
74 livros.
Tantas palavras, tantos capítulos, tantas lágrimas, tantas gargalhadas.
Tanta felicidade!

Bolas!

*
*

1 comentário:

Helena Barreta disse...

Muitos parabéns.

Oiça sempre o seu corpo e acate o que ele lhe diz para que possa traduzir muitos mais.