quinta-feira

The Power Within

Happiness is an inside job:


Todos temos pessoas de quem somos mais próximos, com quem gostamos de conversar, com quem gostamos de rir e com quem contamos para nos ajudar nos momentos mais chatos e difíceis da vida. É como dizia o outro senhor, Nenhum homem é uma ilha e sabe bem ter quem nos entenda, quem nos conforte, quem nos dê coragem, conselhos ou um puxão de orelhas quando sentimos que sozinhos não somos capazes.
Mas em última análise, a nossa felicidade e paz interior dependem de nós, daquilo que somos, da forma como encaramos o mundo e do que estamos dispostos a fazer por nós mesmos. 
Nada é tão nosso como aquilo que pensamos, o que sentimos, e nada é tão libertador e recompensador como o que conseguimos alcançar pelo nosso próprio esforço e crescimento.

Por isso, acho perigoso transferir uma responsabilidade que é nossa, enquanto seres individuais, para os ombros de outra pessoa. Nenhum adulto pode ser responsável pela felicidade de outro adulto. Ninguém pode ser responsável pela paz de espírito de ninguém. É um fardo demasiado pesado para colocar sobre quaisquer outros ombros que não sobre os nossos. 
Mesmo que estejamos a falar dos nossos melhores amigos, dos nossos familiares mais próximos, dos nossos companheiros de coração e de vida, que têm sem dúvida um papel importante. 
É mais fácil fazer este percurso com companhia, com ajuda, isso é indiscutível, mas também é injusto fazer depender de outra pessoa aquilo que devíamos conseguir obter sozinhos, dentro de nós. Por muito lento que seja o caminho, por muitos avanços e retrocessos que ele inclua.

Se não em nome da satisfação individual, do sabor doce da conquista pessoal, então pelo menos em nome do bem estar e da paz de quem queremos tanto bem.





Psst! Quem disse que depois dos 40 não se aprendia nada?!
Tenho a sensação de que a minha verdadeira vida interior está a começar agora!

*
*



1 comentário:

Melissinha disse...

Tenho exatamente a mesma sensação. Não é crise dos 40, é despertar dos 40.