sábado

Querem lá ver?!

Red velvet:

Assim um bocadinho sem querer, apercebi-me de uma coisa que, como tantas outras coisas na vida parece ter entrado nos eixos sem eu dar por ela.
Todos os anos quando o ano acaba faço aquela reflexão sobre o que correu bem, o que correu menos bem e o que gostaria de melhorar no ano seguinte. Normalmente estabeleço alguns objetivos, mesmo que só os registe na cabeça, e há sempre um ou outro que levo até ao fim e se tornam hábitos normais. Como por exemplo não dizer "bué", aprender a gostar de manga, pensar duas vezes antes de falar (falo só dos bem-sucedidos, que os outros não são para aqui chamados!). 

Depois também há aqueles objetivos que nem chego a verbalizar, porque desconfio - ou tenho quase a certeza - que estão destinados ao falhanço. 
Um deles é deixar de comer açúcar. Há anos que ando às ochas com isto, há anos que sei que como doces a mais.
Quem me conhece sabe que sou gulosa até à quinta casa, que retiro grande prazer de um belo cupcake, cheio de creme, de geleia, de açúcar em pó, de tudo o que tenho direito, e que o faço sem grandes culpas.
Só que às vezes sinto o corpo a enviar-me sinais de aviso, a dizer, Já paravas com essa merda!
De há uns tempos a esta parte, instituímos cá em casa uma certa reeducação alimentar, que passa por comer de tudo, mas em doses certas e evitar aquilo que sabemos que nos faz mal, tipo fritos. 
E eu queria moderar os doces! Mas nem pensei muito nisso. 

Ora, desde a passagem de ano, em que comi uma pavorosa mousse de chocolate amargo como um corno, que não como bolos, croissants, cremes, gelados, chocolates, bolachas... A única coisa que comi foi pudim de caramelo da Boca Doce, um bocadinho de arroz doce e os habituais cubinhos de marmelada e colheradas de manteiga de amendoim no fim do ginásio.
Em mais de duas semanas!

 E não é que não sinto grande falta?!
O que é que me está a acontecer? Será que é desta que controlo a fome de açúcar? Querem lá ver que estou a ficar toda crescidinha e responsável?
:)

*

*

Sem comentários: