sexta-feira

Tão giro!

°•ºø°•Lenny•°øº•°




Como não conduzo, ando muitas vezes de autocarro. Em 15 minutos estou no centro da cidade e o autocarro que apanho - o 9 - está sempre cheio de velhinhos, que Nogueira é uma freguesia antiga de Braga e desconfio que tem tantos idosos como miúdos.
Apesar de não conhecer ninguém, fico sempre a par das novidades, dos mexericos - quem morreu, quem está doente, quem se divorciou, o que se vai construir naquele descampado e outros que tais - observo com um misto de espanto e ternura os senhores que tiram os chapéus e bonés quando passam pela igreja, e assisto muitas vezes a conversas interessantíssimas.
No outro dia acabei por pegar no telefone e registar esta conversa, sob pena de me esquecer dela quando chegasse a casa. Era boa de mais!

Duas senhoras, sentadas lado a lado em amena cavaqueira, quando toca o telefone:
- Tôu, filho? Então, vistes muntos? ... A que horas saístes? E aleijou-te, a filha da mãe?... Pronto, até logo, sim... beijinhos.
(para a outra senhora):
- É o meu filho. Tá a fazer fizóterapia. Ele mete os ombros ó pa dentro... É assim a puta da bida! Até quarta!
- Até quarta!

*
*



1 comentário:

umcasulocomvaranda disse...

Adoro conversas de velhotas nos autocarros! Apanha-se cada pérola... :) Também são muitos úteis para nos pormos a par das promoções nos supermercados e actualizações dos estados-civis de uma série de pessoas :)