terça-feira

Quando menos é mais





Ando a reformular a minha presença e atividade nas plataformas sociais.
Sempre encarei estas coisas com um misto de adoração e aversão; se por um lado é interessante acompanhar o dia a dia das pessoas que por um motivo ou outro nos dizem alguma coisa, por outro pode ser extremamente irritante. Com o tempo, e com as ligações que fui estabelecendo com pessoas dos mais diversos meios, comecei a fazer uma separação quase inconsciente entre aquelas que me fazem rir ou pensar, que partilham coisas interessantes, que têm uma boa postura e uma boa conversa e as outras, as fundamentalistas, as que fazem trinta por uma linha para chamar a atenção, para ganhar "likes".
Não tenho paciência para gente que só diz que está gorda para virem as ovelhas todas dizer que "não, estás ótima, quem me dera a mim", ou para quem só come alface e ervilhas polvilhadas com chia. Não tenho paciência para os "runners" (a atividade chama-se corrida, senhores, logo são corredores) que fazem questão de nos mostrar todos os resultados e médias, todos os dias, como se isso interessasse a mais alguém a não ser aos próprios, e tenho menos paciência ainda para os que têm dúvidas existenciais sobre se aquela bola de berlim vai pôr em risco todo o bem que a alface e as ervilhas polvilhadas com chia lhes trouxeram ao longo do ano.
Tenho-me deparado com algumas pessoas que são hostis, belicosas e que não sabem estar neste tipo de plataformas virtuais. Lá porque não estão diretamente em frente às pessoas, não quer dizer que possam ser deselegantes e que digam barbaridades camufladas com smilies e emojis.

Depois, para ser coerente com a minha decisão de não pôr a vida toda ao sol, porque ninguém precisa de saber tanto como eu, decidi partilhar menos, escrever menos, guardar e viver mais.
E assim está bem.
Eu não ando à caça de "likes", não corro, não estou gorda e como todas as bolas de berlim que me apetecer.

*
*

2 comentários:

Anita disse...

Perfeito. :)

Amigo Imaginário disse...

Nem mais!

(esqueceste-te de falar daquelas pessoas que usam as redes sociais para atacar outras, porque são demasiado estúpidas para perceberem que esse tipo de assédio cobarde e mesquinho também é considerado crime... )