sexta-feira

Tempo



Queixo-me muito, como quase toda a gente que conheço, de que o dia é curto, de que as 24 horas não chegam para fazer tudo o que queria e precisava de fazer, e que vai desde coisas tão importantes como dormir, trabalhar, namorar, ir ao ginásio, estar com os amigos, até às mais prosaicas como ver trash-tv, ler, costurar, ver trash-tv, passear, organizar cenas, ver trash-tv... enfim.
Acho que o problema não está no pouco tempo que tenho disponível (porque o tempo é o mesmo para toda a gente), mas na forma como o utilizo, como rentabilizo as horas.
Não gosto de ser escrava de horários fixos, a ausência de rotinas é um dos motivos que me faz gostar tanto da minha profissão e da forma como trabalho - estou no paraíso do freelancer! - mas às vezes dá-me vontade de arranjar um horário aos quadradinhos, como aqueles que tínhamos no liceu, e estabelecer horas para as coisas.

Tenho cumprido mais ou menos os objetivos a que me disponho no início de cada Ano Novo, por isso, quem sabe se o de 2015 não será qualquer coisa como:

Gerir melhor o tempo.

Não sei se é original, parece-me que já foi objetivo do ano várias vezes, mas uma pessoa não pode parar de tentar. Certo?

:)

If at first you don't succeed, do it two more times so that your failure is statistically significant!   Psychology humor


*
*


2 comentários:

gralha disse...

Certo. Pelo menos não perdes nada em tentar.

Mas olha que ajuda muito destralhar a vida de actividades consumidoras de tempo e que são dispensáveis. É a minha táctica de eleição.

Ana. disse...

Acho que é mesmo por aí, gralha, destralhar! (palavra maravilhosa, btw!!)