quarta-feira

Devagar, devagar, um dia chego lá!

via | rose tea in paris





Porque não me apetece fazer balanços, digo apenas que estou a começar a perceber que as minhas resoluções de Ano Novo, os tímidos objetivos que traço, não são afinal anuais, mas trabalhos de uma vida inteira.
Posso aprender a gostar de manga em menos de dois meses, é só uma questão de educação gustativa. Mas quando se trata de refinar, melhorar ou mudar o que está aqui no centrinho de tudo, aquilo que me tem definido, que me tem irritado, massacrado e tirado o sono, bem... isso é coisa para demorar mais do que 12 minúsculos meses.  
Sendo assim, este ano não há balanços, não há intenções ou objetivos. Sei o que precisa de ser melhor, o que devia mudar, sei por onde ir e o que fazer; não depende de um calendário, não depende de um copo de champanhe e de 12 passas; tanto posso decidir hoje como no dia 31 de janeiro ou no 18 de abril, o caminho está à minha frente em qualquer dia do ano, só tenho de o seguir.

Dou por mim a desejar ter saúde e trabalho. Para mim e para os meus.
Saúde.
Trabalho.

E que o Amor continue a ser a coisa mais importante da minha vida.



Bom Ano Novo, people do bem!

*
*


1 comentário:

gralha disse...

Bom ano Anamê! Chegas, sim, a velocidade é uma variável de somenos importância. Beijinhos :)