segunda-feira

Live the dream, one mistake at a time








Acho que devem existir poucas séries de televisão mais realistas e verdadeiras do que Girls, da brilhante Lena Dunham.
Enquanto anseio pela nova temporada, revi alguns episódios e fico sempre com uma sensação de gratidão pela honestidade com que a série foi feita. Não é uma série bonitinha, cor de rosa, politicamente correta nem subjugada a moldes ridículos e castradores. Os atores não são todos lindos de morrer, não se vestem com as últimas tendências da moda nem vivem em casas deslumbrantes ou têm empregos glamourosos. Não é disso que fala a série. Fala de pessoas imperfeitas, amizades imperfeitas, relações imperfeitas, corpos imperfeitos, que na sua imperfeição são absolutamente reais e credíveis.

E é engraçado como estando a anos-luz da perfeição rosadinha que enche a televisão e nos chafurda com a cabeça, esta série me faz sentir muito mais normal.

Temporada 4, vem depressa!

*
*

6 comentários:

gralha disse...

Enquanto ressacas, experimenta a Broad City. Não é tão boa e é mais em registo de comédia mas tem os seus momentos (e as protagonistas também são adoráveis no seu down-to-earthismo).

Melissinha disse...

Acabei agora a 1 e estamos apaixonados, cá em casa.

Ana. disse...

gralha, ia começar a ver o Orange is The New Black. Ouvi dizer muito bem dela! A Broad City não encontrei... Vou procurar melhor!

Ana. disse...

Mel, esta série devia ser a nossa bíblia, não só pelo que mostra, mas pelo que fica subentendido (sobretudo pelo que fica subentendido)!

gralha disse...

Mas olha que o Orange is the New Black é melhor.

Mafalda disse...

Tenho de experimentar! Após longo tempo de "jejum" de séries eis que acabei viciada no House of Cards, onde ainda não terminei a temporada 2, mas é sempre bom saber estas coisas, vou experimentar!