terça-feira

Igualdade



Não é só no Ano Novo que se podem tomar resoluções, principalmente porque raramente funcionam. Uma pessoa está cheia de açúcares vários dos doces de Natal, e o champanhe faz crer que tudo é mais simples e mais exequível do que na realidade é, por isso, rara é a intenção de Ano Novo que chega até março, e isto a ser otimista!
Assim sendo, e porque de hoje a um mês faço 40 anos e uma pessoa chega-se a esta altura e começa a pensar na vida, aqui vai uma resolução para o próximo ano (próxima década): Dar na mesma proporção em que recebo. Em todos os aspetos. Em carinho, preocupação, consideração, respeito, atenção e por aí fora.
Muito ou pouco, depende das situações e das pessoas.
Mas é isso, Dar na mesma proporção em que recebo. E por esta ordem. Não dar e ficar à espera de receber, mas dar consoante recebi. É um pouco/muito egoísta, pouco altruísta, mas eu também não me chamo Madre Teresa.

*
*

Sem comentários: