quinta-feira

:)



Eu sou um bocadinho despassarada, ando frequentemente no mundo da lua e sou daquelas pessoas que passa ao lado de alguém conhecido e faz figuras tristes porque não os cumprimenta, não porque seja antipática, mas porque não os vejo. Sou sempre a última a perceber quem anda com quem, que falou de quem, quem está zangado com quem... Enfim, passa-me ao lado.
Também guardo pacotes de açúcar no frigorífico, tachos lavados no forno e outros que tais. Um dia até cheguei a bater de frente num poste de electricidade, no meio da rua, porque simplesmente não o vi!
Mas ontem, bem, ontem atingi um novo nível de tolice, que me (nos) valeu as maiores gargalhadas dos últimos tempos.
Fui à farmácia comprar cenas e o Nuno parou o carro em frente à porta. Fiz o que tinha a fazer e quando saí, um bocadinho ensimesmada porque não havia a pomada de arnica que queria, dirigi-me ao carro, tentei abri-lo e, como estava fechado, bati no vidro, enquanto pensava "Olha, trancou o carro porquê?"
Pois...
Não era o nosso carro e o senhor que estava lá dentro não era definitivamente o Nuno!
Coitado, estava com o telemóvel na mão e assustou-se de tal maneira com uma maluca a tentar entrar-lhe pelo carro adentro e a bater-lhe no vidro que ia deixando cair o telefone.
E eu só depois de bater no vidro, como quem diz "Anda lá, abre-me o carro que cá fora está frio, porra!", é que me apercebi que aquele carro não era meu. Disse-lhe "Oh, desculpe!" e fui-me embora à velocidade da luz.
Entretanto, um bocadinho à frente, o Nuno olhava para trás, incrédulo a pensar "Mas onde é que ela vai?" e quando entrei no carro já ele se ria a bandeiras despregadas!
Quando lhe disse que se o senhor calhasse de ter o carro aberto, eu sentava-me a toda a velocidade e só depois reparava que estava no carro, e com o marido, errado, então é que nos rimos!

Em minha defesa, tenho de dizer que inicialmente o Nuno parou o carro ali, onde estava o senhor, e só depois se chegou à frente.
E o carro também era cinzento.
O meu consciente pode ser apardalado, mas o inconsciente sabia o que estava a fazer!

Foi uma boa gargalhada e soube bem, muito bem.

*
*

5 comentários:

Naná disse...

HAHAHHAHAHAHAHAHAHAH!!!!

Coitado do homem... que cagaço!

Mas se te serve de consolo... uma vez estive uns 5 minutos ao lado dum carro exatamente igual ao meu, a tentar perceber porque raio o comando não funcionava e o carro não abria... só quando olhei para o interior e vi uns estofos diferentes é que comecei a desconfiar que era capaz de me ter enganado na viatura... que estava estacionada no lugar mesmo ao lado... acho é que ninguém me viu fazer estas figuras... ahahahahahah

gralha disse...

E agora imagina que a porta do carro estava destrancada e tu tinhas entrado e posto o cinto de segurança. Eu já fiz isso ;)

Melissinha disse...

Há dois natais, entrei no carro do meu pai, no estacionamento do shopping, bati a porta e disse: pronto, vamos embora.

Só que não era o meu pai.

Carla Isabel disse...

Eu tb sou um bocadinho assim...haja alguém! Porque o meu marido diz que nao acredita como posso ser tão distraída! :)

Sandra Cantinho disse...

Até me vieram as lagrimas aos olhos de tanto rie!!! Só tu Ana...