sábado

Come Back, Come Back To Me...



Apeteceu-me fazer uma coisa diferente, por isso decidi tirar duas horas e picos de almoço e aproveitar para ver um filme.
Não o vi na altura em que saiu; não sei porquê, inicialmente não se proporcionou, depois comecei a ouvir muita gente a falar dele - uns diziam muito bem, a maior parte muito mal - e para mim, essa é a receita certa para não entrar na onda. Sei que pode ser uma parvoíce, porque assim raramente estou actualizada em relação à "corrente cultural" mas gosto de ver filmes e séries ou de ler livros de que toda a gente fala quando o burburinho já se tiver extinguido, quando as opiniões a favor e contra já não condicionarem a minha apreciação. Acho que as expectativas que as opiniões dos outros criam em nós são verdadeiras armadilhas, principalmente para quem é um bocadinho do contra, como eu!
Por isso, hoje apeteceu-me ver o Atonement - em português Expiação, de 2007.
Amei!
Sim, é parado - muito parado, a história não é linear, as imagens são entrecortadas, a música é sinistra, mas adorei. Gosto de filmes em que as expressões faciais das personagens dizem mais do que as falas que lhes atribuem.
E a Briony... bem... Os cinco minutos da Venessa Redgrave são maravilhosos e ligam toda a história. Muito bom!

Também confirmei duas opiniões que tenho há algum tempo: continuo a detestar a Keira Knightley (oh, coisinha mais insonsa, sem jeitinho nenhum - ainda não vi duas interpretações diferentes dela!) e a adorar o James McAvoy, que tem mais intensidade no dedo mindinho do pé do que muitos actores americanos com grandes sucessos de bilheteira têm no corpo inteiro. É um actor fantástico e neste filme está irrepreensível.

A noção de como uma simples mentira pode condicionar a vida de tanta gente é maravilhosamente explorada.
Ainda bem que esperei para o ver na altura certa.
Thumbs up!

*
*


1 comentário:

Naná disse...

Vi esse filme há coisa de um ano. Por alguma razão, quando saiu não me "chamou" e deixou-me uma sensação terrivelmente estranha... essa mesma, do que uma mentira pode fazer!