terça-feira

Quando é que isto vai parar?




Hoje estou tão zangada, tão triste, tão indignada e com uma sensação tão grande que me estão a roubar à  descarada que nem consigo desfranzir o sobrolho.
Esta sensação de injustiça é esmagadora.
Dói-me o estômago e já não é do bug.
Tenho o peito apertado, falta-me o ar.
Não sei o que posso fazer para evitar que me roubem tanto dinheiro.
Recebi ontem o mail da Segurança Social a informar quanto vou pagar por mês em 2013.
Fiquei sem palavras e com o coração a bater descompassado. Porque em 2011 ganhei quase menos um terço que no ano anterior, o que, segundo toda a lógica me faria descer a prestação social para 2013. Era bom, já que pago tanto.
Pois a verdade é que a prestação social subiu 62€...
Eu, que já pago tanto, sem sequer ter direito a baixa médica se me acontecer qualquer coisa que me impeça de trabalhar, não vou pagar menos, vou pagar praticamente um quarto a mais...
Não quer dizer que não consiga encontrar 62€ a mais para pagar, por enquanto consigo, mas a questão não é essa. É o roubo, a violência perpetrada contra quem não consegue esquivar-se a uma responsabilidade social e moral.
E isto para uma SS que está à beira da falência, que está a "transferir" dinheiro (entregue por mim e por outros como eu) para pagar pensões a administradores e imigrantes que andam a vender pensos rápidos nos semáforos e a ter ranchos de filhos.

Eu pago para isto.
E mesmo num ano em que ganho menos - bastante menos - pago mais.
Qual é a lógica?
Quem é que vai pagar para mim, quando eu não puder?

*
*

6 comentários:

gralha disse...

Sempre foi terrível trabalhar a recibos verdes mas devo dizer-te que, hoje em dia, eu simplesmente não trabalharia nessa condição. É demais.

Ana. disse...

Mas, gralha, ou trabalho assim, ou não trabalho de todo... As editoras não contratam tradutores, não conheço nenhuma que tenha tradutores in house...
O que posso fazer?

gralha disse...

Pois... É tramadíssimo.

av disse...

Ana, não tinhas já feito a simulação?
Eu ando sempre atenta a isso. Sei, por exemplo, que ultrapassando os 17.950 brutos, já se paga esses 62 a mais. Em julho, aumentaram-me esses tais 62 sem dizer água vai. Fiz contas e voltei a fazer, perguntei, li leis e cheguei à conclusão de que era engano. Recusei-me sempre a pagá-los e ia diretamente à ss pagar o valor antigo (eles lá conseguem mudar). Em outubro, tudo voltou ao normal. Tão depressa como aumentaram, retiraram esses 62 euros a mais e sem uma única justificação. Tenho um simulador bom, se quiseres que te envie.:D

Ana. disse...

av, por acaso gostava de ver esse simulador. Envias-mo, pf?

;)

Naná disse...

E se eu te disser que há emigrantes a receber subsídio de desemprego e que estão nos países de origem deles e vêm cá uma vez por mês, para marcar presença e continuar a receber?!


Eu ainda não sei quanto vai ser a bucha que vou gramar...
E o pior ainda no meio disto tudo é que este dinheiro que andamos a entregar nunca lhe vamos ver a cor, quando chegar a altura da nossa reforma. Isso é que me lixa! É eu e muitos como eu termos que subescrever PPR para nos precavermos no futuro...