terça-feira

You're So Vain, I bet you think this text is about you




Sei que esta coisa dos blogues é antes de mais um grande exercício de vaidade do autor; não me venham com coisas que cá para mim toda a gente gosta de ter feedback das cenas que escreve, seja ele mais ou menos favorável. Se quem escreve blogues não gostasse de feedback, das duas uma: ou não permitia comentários e limitava-se a escrever para a frente, ou então escrevia em privado, para seu registo e memória futura, sem mostrar nada a ninguém.

Ora, quase todos gostamos da ideia de ter o que dizer ao mundo, de o mundo nos ouvir e até concordar connosco, validar as nossas opiniões, provocando a consequente e tão desejada massagem ao ego. Eu gosto. Gosto que as minhas amigas, que as pessoas que me leem, me deixem um ou outro comentário. É verdade que não escrevo exclusivamente para isso, mas é agradável sentir o eco das minhas palavras. Não acho é que o número de comentários ateste a pertinência das minhas opiniões ou convicções.

Nestes tempos em que tanta gente vive isolada e a meio mundo de distância dos seus, isto acaba por ser um bom canal para combater a solidão.

O que me escapa, e certamente o problema é meu, é a intenção daquelas pessoas que escrevem sem escrever, que contam sem contar; que se limitam a dizer: "No hospital"; ou pior, que fazem grandes textos vazios de sentido e cheios de expressões que não dizem rigorosamente nada, mas que lançam o anzol para os leitores mais preocupados e carneirada em geral inundar a caixa de comentários com manifestações de cuidado e votos de coragem e força.

Nem que o paciente internado seja o canário lá de casa!

*
*

2 comentários:

Naná disse...

Um excelente post sobre vaguebooking ou vagueblogging :)

ainda estou a rir a imaginar a cena do canário ligado às máquinas :)

Melissinha disse...

É o vagueblogging :)

Egocêntricos todos os bloggers são, mais ou menos. O que mais me irrita nalgumas bloggers do espectro "mais" é uma mania (mania no sentido psiquiátrico) de se defender de ataques que nunca foram feitos... enormes, enormes textos a justificar um "criticam-me por esta opção de vida maravilhosa" ou "por estes valores tremendos que eu tenho" quando qualquer leitor (voyeur sendo um termo mais exato) mais atento consegue ver que o ataque, crítica ou diabo nunca foram feitos... por outra pessoa além da própria blogger. É a pura da esquizofrenia: ela ataca-se a si própria para poder defender-se, mostrando que tem argumentação dos dois lados. Ou que preferia estar do lado oposto. Sei lá, são doidas.

(Pus no feminino porque não leio blogs de gajos, só o do meu, mas duvido que não aconteça também).