sábado

Dinosaurs & Friends!



Esta coisa da aldeia global é de facto fantástica. Porque o mundo passou a ser mesmo uma aldeia onde todos se podem encontrar com um simples clique!

Aqui há uns tempos (não há muito) a minha prima que tem 21 anos perguntou-me, espantada, como fazia na minha adolescência para contactar os meus amigos: não havia net, não havia telemóveis, e, obviamente, redes sociais eram uma ideia ainda mais estapafúrdia do que ir viver para Saturno!
- Ora bem, expliquei-lhe, falávamos por telefone fixo (quem tinha), por carta (nas férias) e durante a semana, enquanto andávamos na escola.
Senti-me um dinossauro!

E a verdade é que sempre tive amigos bastante próximos, que me encheram a vida e o coração de coisas boas. E com quem partilhei experiências doidas, mas assim é que tem piada!
Quando fui para a faculdade, acabei por lhes perder o rasto a quase todos. Fomo-nos espalhando por aqui e por ali, cada um nas suas vidas. E raramente tive notícias deles.

Há uns dias, voltou a acontecer o que já tinha acontecido com a "redescoberta" do pessoal da faculdade. Recebi um pedido de amizade no Facebook de uma amiga querida de Torres Novas e através dela, voltei a encontrar uma série de outros amigos, que não estavam esquecidos, mas guardados num cantinho da memória.

É tão giro ver as fotos, reconhecer os rostos, ver as pessoas que conhecemos há mais de vinte anos espelhadas nos rostos dos filhos delas!

Faz-me regressar àqueles dias fantásticos em que as nossas preocupações eram tão simples e perceber que, sim, os amigos ficam sempre aqui!

*
*


2 comentários:

Vanessa. disse...

Gostei tanto das tuas palavrinhas! É quase como dizer que "Recordar é Viver"!

Naná disse...

Oh, mas diz lá que não era tão bom receber cartas na caixa do correio, ter pen-palls e coisas assim?!