sábado

Eu tenho...

Vi no Facebook, no status de uma amiga e achei que devia partilhar:
(E isto sim, é um bom status!)



Aqui vos deixo um excelente texto de Paulo Contumélias Tavares, um amigo do Francisco Carvalho, sem papas na língua:

"Aluguem a RTP, privatizem as forças armadas, cortem 11 meses de salários a todos, apostem na mediocridade, aumentem os impostos, os combustíveis, a luz e o pão. Não contentes com isso, suspendam a demo
cracia e entortem a constituição. Mintam e sorriam, peidem-se e culpem os outros do mau cheiro. Tirem-nos as últimas gotas de dignidade e apertem ainda mais o garrote. Tudo aguentamos porque somos mansos e serenos, levados, levados sim. Mas um dia, juro, alguém pega numa pistola, numa caçadeira, numa bilha de gás, numa garrafa de gasolina e em vez de se suicidar pensa que talvez seja menos doloroso e mais mediático matar um político, destruir uma qualquer fachada do estado, abrir, à falta de melhor, uma cabeça de um chui. Eu acredito que um dia esta raiva a nascer-me, a nascer-nos nos dentes há-de vencer a cobardia, a pachorra e a mansidão. Pode ser ao olhar para o recibo de vencimento, ao perceber que mais um pato bravo é ministro, ao ouvir as notícias, à espera do reembolso do IRS, ao olhar para as facturas por pagar, não sei. Sei que será seguramente no dia em que os meus filhos ( os nossos filhos ) tiverem fome ou se me perguntarem, eu sei que me vão perguntar um dia: Pai, não tens vergonha de ter deixado isto chegar aqui?
Tenho. Voto e pago impostos. Falo o que penso e penso no que falo. Não tenho medo. Ainda não fugi disto. Parco contributo de um cidadão democrata que jurou defender o seu País. Quando era livre. quando era um País, note-se. Quando muita coisa fazia sentido... Não me falta o trabalho, logo vou ficando. Mas o ar nesta latrina há muito que se tornou irrespirável. Um dia destes... alguém vai dar o pontapé de saída. o desespero é sempre um bom catalisador. E cada vez menos haverá quem defenda isto, esta merda em que nos "obrigam" a viver. Se um dia deixarmos de olhar para o umbigo... se um dia o fogo chegar ao rabo de todos, se um dia, os coitados dos mais novos nos perguntarem: Não tens vergonha?"





Sem comentários: