quinta-feira

Episódios da Vida






Porque as nuvens negras vão acabar por se dissipar e a seguir... céu azul!



A vida e as coisas boas da vida às vezes passam-nos ao lado.
Felizmente para a maioria de nós, as coisas realmente más da vida também não nos tocam.
Tenho quase a certeza que por razões de auto-preservação o ser humano é um bicho egoísta, centrado em si e no seu umbigo. Quantas vezes olhamos mais para nós do que para os outros, quantas vezes choramos as nossas mágoas sem pensar que há mágoas e dores tão maiores?

Não digo que devíamos andar por aí aos pulos porque temos um tecto, comida,e o mais importante de tudo (e muitas vezes o mais esquecido e subvalorizado) saúde. Mas, e aqui falo por mim, quantas vezes nos queixamos de coisas absolutamente triviais e mundanas? Coisas quase sem importância? Quantas vezes desperdiçamos tempo com pessoas idiotas que não acrescentam nada às nossas vidas, com enredos que nos retiram energia?

E a grande questão para mim, como é que desrespeito tanto o corpo saudável que tenho, não dormindo o suficiente, não poupando o corpo quando posso poupar, não regrando as horas que por vezes fico aqui sentada a trabalhar- porque o prazo chegou ao fim e como não trabalhei o suficiente antes, tenho que compensar tudo de uma vez - não cuidando do veículo que me sustém a vida?

As minhas dores de ombros, costas, dedos, olhos e sei lá mais de quê são risíveis quando comparadas com as dores de outras pessoas. Não deixam de ser importantes, porque as sinto, porque me maçam, mas são tão pequeninas...
Não quero ser uma pessoa pequenina. Quero ser uma guerreira e enfrentar a vida com força e determinação. Como esta menina daqui http://episodiosderadio.blogs.sapo.pt/

A aconselhou-me há muito tempo a ler o blogue da Silvina. Disse-lhe que naquela altura não era capaz porque me sentia frágil. Grande erro! Devia ter começado a ler e acompanhar logo a sua história. Porque é uma história que dói, sim, que custa a ler, mas deu-me tanta coragem, fez-me pensar tanto, fez-me tanto querer ser melhor, viver melhor!

Para a Silvina, o maior abraço do mundo, cheio de força, admiração e vida!
Para mim, um banho de humildade que colocou TUDO em perspectiva...

*
*


5 comentários:

Naná disse...

Eu leio a Silvina há algum tempo, também por sugestão da Cê, e sinceramente recordo muito do que vi a minha mãe passar na sua luta contra o cancro.
Sempre que leio os textos da Silvina, digo para comigo que ela sim vai conseguir ganhar a guerra, já que a minha mãe não o conseguiu!

Sandra disse...

Oh Aninhas, fui lá ler um pouquinho mas não consegui ler muito mais... Não me apetece... Há muitas maneiras de falar de cancros, mas eu gosto de os deixar bem longe... logicamente que desejo tudo de melhor para a Silvina na sua luta.

Agora o que achei mais estranho é que estava a lê-la e quase que te ouvia a ti, como explicar?! Ela escreve da mesma maneira que tu, usa umas palavrinhas que normalmente tu é que usas, achei mesmo estranho... Hummm, Coisas...

Ana. disse...

Sandrinha, eu também não consegui ler assim que mo aconselharam... E compreendo que te custe... Mas a mim fez-me bem, sabes? Fez-me ter um bocado de vergonha por andar a queixar-me de coisas sem importância.
Acho triste e inglório as pessoas terem de passar por este sofrimento todo. E aposto que concordas comigo.
Beijo!

Silvina disse...

Olá Ana, fico contente que tenhas lido os episódios e que te tenham feito pensar... Concordo com a Sandra, é um bocado negro e quase só falo de cancro, mas é a minha vida, que por enquanto não posso mudar!... ;)
Um grande beijinho*

(p.s.-confesso que não percebo bem como é que a minha história, tão cheia de dores e mazelas, pode dar coragem a outros, mas textos como o teu vão-me ajudando a perceber, e fazem-me sentir bem. Por isso obrigada! -pelas palavras e pelo abraço tb!-)

Ana. disse...

Silvina, o que eu acho admirável é que quando confrontada com o valor e a fragilidade da tua humanidade, tu escolhes rugir! Quando confrontada com uma possibilidade de cura, escolhes ser honesta e mesmo depois de levares com um (injusto) chuto no traseiro não perdes a coragem!
Talvez não aches nada disto inspirador porque és tu quem está a passar por elas; tu é que sentes as dores na pele, mas para quem está de fora (preocupada porque tem uns centímetros de barriga gelatinosa) a tua coragem e teimosia perante esta puta desta doença é uma grande lição de vida!
Sou conhecida por ser uma pessoa optimista, por achar que tudo tem solução e neste momento, desejo ardentemente que consigas ultrapassar mais esta barreira. De coração!

;)