quarta-feira

Leilão

Ontem senti-me a participar num leilão invertido, daqueles em que ganha quem der - ou neste caso cobrar - menos. Por um trabalho.
Não está certo.
Não está certo que quem tem brio no seu trabalho, quem o faz em condições, quem cobra o preço justo, seja preterido em favor de alguém que faz o mesmo trabalho (quero acreditar que menos bem que eu) por um valor humilhante, muito abaixo do mercado, quase metade do que normalmente recebo; um valor que mina completamente qualquer hipótese de concorrência...
Não fiquei com o trabalho, mas fiquei com o meu orgulho.
O orgulho não me paga as batatas e as cenouras para a sopa, mas recorda-me que não me vendo por menos daquilo que valho.

*
*


2 comentários:

Melissinha disse...

Uma vergonha, esse sistema de bidding.

Ana C. disse...

Vergonhoso e a crise acentuou ainda mais essas trampas. Parece que toda a gente tem que agradecer por ter trabalho, ainda que muito mal pago.