sábado

Tão Famosos Que Eles São...

Eu acompanhei mais ou menos esta segunda edição da Casa dos Segredos e de entre muitas coisas que questiono acerca deste tipo de programas, nenhuma me faz tanta impressão como a ambição (ou falta dela) dos concorrentes.
Durante o tempo que o programa durou, ouvi-os falar inúmeras vezes sobre como esperavam conseguir capitalizar à pala do sucesso do programa, fosse em trabalhos na televisão, na moda, uma oportunidade na música ou as tão famosas "presenças".
Depois ouvi num programa de domingo que aquele espectacular exemplar do tuga burgesso que dá pelo nome de "pai da Fanny" também andava a fazer "presenças".
(Já nem questiono a correcção gramatical da coisa, porque cheira-me que "presenças" não é coisa que se "faça", talvez se marque ou assegure, mas adiante!)

E fiquei a pensar...
Tudo bem que diz que o senhor ganhava 650€ por cada noite que passava na discoteca a tirar fotos, dar beijinhos e autógrafos (- Um beijinho do Fernando, Nando para os amigos, para o resto do povo: O pai da fanny - wtf?!!), mas que raio de auto-estima e dignidade tem esta gente para ir para uma discoteca exibir-se como se fosse uma obra de arte que merece admiração? Qual é a piada de estar em cima de um palco, de uma coluna de som ou seja lá onde for que os "famosos" se empoleiram, para que as pessoas os possam ver e tirar fotos? Como se tudo não passasse de um freak show como os que havia nos circos dos anos 40 e 50?
Acho tão degradante.
E quem é que vai a uma discoteca para "ver" estes personagens fugazes que daqui a seis meses já ninguém se lembra quem são? Para quê? Para tirar fotografias que mais tarde se espetam nos murais do Facebook?!

Não entendo a ambição das pessoas que sonham ser "famosas" sem terem nada de relevante a oferecer aos outros. Quando cantam bem, escrevem bem, representam bem ou tocam bem um instrumento, até entendo que chamem a atenção do público e considero que o reconhecimento é merecido. Mas quando as pessoas não são mais que intervenientes num programa de entertenimento (onde nem sequer mostraram grande talento), o reconhecimento deve-se a quê?

É estranho...

*
*

Sem comentários: