segunda-feira

No Norte...

Imagem infelizmente tirada da Net... Um dia substituo por uma da minha autoria!

Ainda na onda da última imagem, voltei a pensar no desejo que acalento desde que me tenho como gente crescida (não, não é desde o ano passado!) e que consiste em poder viver num dos países da Escandinávia.
O meu ideial seria a Suécia, não sei exactamente porquê, nunca lá estive, embora tenha planos de visitar Estocolmo para o ano, se a troika deixar...
Tenho uma imagem romanceada da Suécia desde alturas da Expo98. Foi o pavilhão de que mais gostei, adorei a exposição sobre as estações do ano e estou farta de ver fotografias, examinar minuciosamente as ruas e campos no GoogleEarth e ler alguns blogues suecos. (Não conheço a língua, mas os blogues que acompanho são escritos em inglês.)

Sei que seria complicado habituar-me a todas as difernças que existem entre Portugal e a Suécia, mas isso faz parte do encanto para mim.
Às vezes canso-me de viver no mesmo sítio.
Vivi dezanove anos em Torres Novas e agora já vou com dezoito em Braga... apesar de adorar viver aqui e de não estar nos planos mais próximos mudar de terra, a verdade é que começo a sentir uns fernicoques e só me apetecia dar à sola.
Assim tipo aproximação do prazo de validade dos anos de vida por cidade...

O complicado é que não consigo convencer o Nuno a ir viver para um país onde, no inverno, começa a escurecer às três da tarde! Ele detesta o inverno e acha os dias curtos um tédio... por isso, ou rifo o marido (coisa que não me apetecia muito, que ele é bastante jeitoso para um sem número de coisas que não importa mencionar agora!) ou então continuo a acalentar a vontade de conhecer melhor os países nórdicos... mas durante as férias.
É capaz de ser por aí...

*
*

6 comentários:

Ana disse...

como boa alentejana, tenho dificuldades com a ausência de sol...

Ana. disse...

Ana! Há quanto tempo!

Eu cá tenho é dificuldade em estar muito tempo parada!

;)

Ana C. disse...

Eu adorei Estocolmo, adorei tudo e, apesar de ser tão diametralmente diferente de Portugal, era um país onde me imaginava a viver.
Não te esqueças que em certas alturas do ano, nunca mais anoitece :)

Ana. disse...

Pois é, tem o reverso da escuridão!

Mas o Nuno não está pelos ajustes! Este gajo é de criar raízes! E como eu criei raízes nele... olha, por cá ficamos!

margarida disse...

Bem, uma vez disseram-me e eu não percebi bem, porque na minha cabeça tudo eram rosas, mas sair de casa (entenda-se Portugal) também tem desvantagens. Ser estrangeiro num país diferente não é fácil, mesmo que seja num sítio tão bom como a Suécia.
Quem sabe o Nuno não muda de opinião, as raízes não morrem porque moramos longe.
Beijinhos

Ana. disse...

Oh Margarida!
Há quanto tempo sigo as tuas aventuras por terras do frio e fico a pensar cá para comigo: quem me dera estar ao pé dela! Tenho por assim dizer uma invejinha da boa! Mesmo quando a noite é looooonga!
Beijinhos!