quarta-feira

É Trabalho, tá?





Quando estou mais cansada, dorida e assustadoramente farta de trabalhar, tudo é um problema e tudo constitui uma possibilidade de solução.
As rodas da cadeira que não param quietas no chão de madeira, a luz que é demasiado forte, as teclas que fazem muito barulho...
Enfim, nada está bem.
Coloquei um tapete felpudo por baixo da cadeira, uma lâmpada mais fraca e comprei um teclado todo de silicone...
Para constatar que:
quando me quero levantar, a cadeira pura e simplesmente não anda;
quando o sol se foi, a luz não chegava para iluminar livro, o teclado e monitor;
o teclado de silicone não fazia barulho, mas também não escrevia com o toque veloz e rápido que tenho - era preciso uma força descomunal e incomportável para que as letras ficassem registadas.

Vai-se a ver e fixe, fixe é:
ter uma cadeira que se mexe só com um empurrãozinho de pés;
ter uma lâmpada que ilumina decentemente o espaço;
ter um teclado de teclas planinhas e que escrevem bem com toques leves das pontas dos dedos!

Acho que o problema sou mesmo eu, que estou cansada e sou muito mimada...
É trabalho, tá?
Existe sempre uma dose de desconforto no trabalho, em todos os trabalhos.

Estou muito mal habituada com esta coisa de fazer o que gosto.
Quando as agruras aparecem, levo a mal, fico ressentida!
Tótó...

*
*

Sem comentários: