quinta-feira

*

Quando um conhecido morre, o que é que se faz ao número de telefone?
Apaga-se, votando a referência, e por vezes a própria pessoa, ao esquecimento?
Deixa-se ficar?

E o que se faz com a surpresa que nos aperta o estômago e o medo que nos inunda o coração?
No meu mundo ideal ninguém morreria.

*
*

6 comentários:

Princesa Tagarela disse...

São momentos... que nos tiram o chão... :)

Melissinha disse...

Na única vez que me aconteceu ter o telefone de alguém - mamãe - apaguei menos de uma hora depois.

Mas ainda me lembro do número, obviamente.

Melissinha disse...

E um abracinho daqui. Quanto ao resto, só resta mesmo o abraço de quem gosta de nós, e não chega.

MARIINHA disse...

Pois é Ana.
É assim a vida. Ao longo da minha existência já tive de riscar e nos últimos anos apagar, alguns números de telefone. Custa sempre.
É estranho, aliás tudo o que tem a ver com a morte, apesar de tão certa, é estranho.
Bjs

Daniela disse...

Esta semana faleceu uma amiga minha vitima de cancro...tinha apenas 32 anos...ainda não tive coragem de apagar o número dela...penso que não o farei tão cedo...é uma maneira de ainda a "ter" perto de mim...eu sei lá...estas coisas deixam-nos muito desnorteadas...enfim...beijinho

Ana. disse...

Daniela, só posso deixar-te um beijo grande, embora saiba que serve de pouco consolo...