domingo

Não Faças Hoje o Que Podes Guardar Para Amanhã!

Imagem tirada da Net



A relação entre aquilo que sei que TENHO de fazer e aquilo que FAÇO de facto, é para mim completamente caótica.
Não há relação mais desequilibrada, viciada, parcial e desorganizada que aquela que estabeleço entre o Dever e o Fazer.

Mesmo quando sei que devia estar a fazer qualquer coisa (seja trabalhar ou, por exemplo, passar a ferro - coisa que abomino!!), não sei que criatura toma conta de mim e me faz ignorar a inexorabilidade dos factos reais.
Senão vejamos: as quinhentas páginas de há um mês e meio atrás continuam a ser quinhentas páginas hoje... a minha vontade de as atacar sem dó nem piedade é também hoje a mesma de há mês e meio atrás... ou seja: nenhuma.
O monte de roupa que há anos se acumula lentamente no armário é um fenómeno interessante, porque cresce e diminui quase como se tivesse vontade própria. Hoje sai uma camisola, amanhã entra um par de calças. É mais ou menos como se fosse uma conta corrente, hoje sai a prestação da casa, amanhã entra o salário! É uma never ending story!!

Assim sendo, o progresso é lento e um tanto doloroso. Mas vai chegar uma altura (e não está muito longe) em que vou ter de pegar o touro pelos cornos, fazer das tripas coração e acabar com isto de uma vez por todas (pelo menos no que diz respeito às quinhentas páginas, a roupa logo se vê!!).
Neste momento o importante é acabar o livro e passar para o próximo, que é fabuloso.

Isto é o que TENHO de fazer, mas não é o que me APETECE fazer.

Já sabia que esta semana ia ser muito exigente a vários níveis, mas acabei por deixar que isso influenciasse a motivação que devia dedicar ao trabalho. E let's face it, quando o trabalho que temos em mãos não é o que mais nos agrada, todas as desculpas são boas para adiar mais um bocadinho.

E se há coisa em que sou realmente boa é em adiar coisas!
Depois tenho também o reverso da medalha que consiste em meter o turbo e acabar tudo o que tenho para fazer enquanto o diabo esfrega um olho. (E sim, aqui também se inclui a fina arte da engomadoria!!) E não sei explicar porquê. Porque para ser completamente verdadeira, a sensação de dever cumprido é das melhores sensações que já experimentei. Nem sei explicar o que senti quando, há alguns meses, acabei aquele que foi o meu maior desafio profissional até à data. Andei dois meses a morrer para o acabar, a sofrer e definhar um bocadinho todos os dias... mas de repente passou-me uma coisinha ruim pela cabeça, meti os nitros e quando voltei a pestanejar... estava acabado. E senti-me inundada de uma satisfação incomensurável, uma coisa que não tem explicação. Quase tão boa como um orgasmo valente!!
Assim mais ou menos aquela sensação que experimento quando olho para o armário e vejo uma fileira de camisas sem um único vinco, as calças todas alinhadinhas e a prateleira das camisolas organizada por cores!!

Por isso fica a questão: se a recompensa é tão boa, porquê adiar?

E agora sim, apetece-me ir trabalhar!
Mas passar a ferro fica para amanhã!!

*
*

4 comentários:

Melissinha disse...

Adoro a frase "procrastinar é roubar tempo ao futuro".

Tenho algumas coisas em comum contigo, cara colega. Boas também, é claro, mas a tendência a ter "barulhos na cabeça" e a dificuldade em atacar coisas chatas - acho que as duas estão ligadas - saltam-me logo à vista.
É muito difícil. Às vezes deprime-me sobremaneira este não vencer a si próprio. Também como tu consigo meter o turbo e sprintar um filme inteiro num dia só, mas não é o que eu quero. Quero apenas ser capaz de cumprir compromissos realistas numa janela de tempo aceitável.
Enfim. Hoje estou sem fé, amanhã talvez ela volte...
beijinho e bom domingo! (também vou meter o turbo.)

Ana. disse...

Encontramo-nos na meta, Melissinha!

;)

Ana C. disse...

Eu vivo no lema: Faz o que tens que fazer para fazeres o que queres fazer.
A sério enquanto não termino um dever não descontraio. Mais vale acabar com tudo logo de uma vez e depois sim render-me à preguiça em toda a sua plenitude sem pesos de consciência.
Só reagia como tu com uma coisa: PASSAR A FERRO.
Contratar uma gaja para me passar a ferro duas vezes por mês foi sem dúvida um dos melhores investimentos em qualidade de vida. Aposta nisso sim?

Ana. disse...

Anacê,
Gosto tanto do teu lema que estou capaz de o rabiscar num post-it e espetar com ele no monitor do pc, mesmo em frente aos olhos, para ver se entra!

;)