quarta-feira

Para Quê Gastar Tanta Água?


Eu sou pessoa de grandes fúrias, de grandes indignações e de grandes inconformismos.

Zango-me com tudo e com nada. Com coisas importantes e outras nem por isso.

É também sabido o amor que tenho pelo Planeta (sim, este que é de todos - presentes e futuros - e não só de alguns, como muito boa gente pensa), pela conservação, pela ecologia e pelo respeito ambiental.

Há por isso poucas coisas que me enervem tanto como ver as pessoas a deitar lixo para o chão.

"Ai, apetece-me mascar uma pastilha elástica" - leva a pastilha à boca e o papel - aquela coisa grande que não cabe no bolso - CHÃO!
"Olha, o último cigarro do maço" - leva o cigarro à boca e o pacote/caixa vazio - que não pode guardar no local onde guardou quando estava cheio - CHÃO!
"Já não preciso deste talão do multibanco" - amarrota o pesado papelinho e... isso mesmo: CHÃO!

Já passei por situações bem desagradáveis e já fui mal-educada o suficiente para chamar "porco" a pessoas que vi fazerem estas, e outras, coisas.

Agora o que me tira mesmo do sério, o que não consigo entender nem que me esforce muito - chamem-me burra if you will - é o motivo que leva aquelas senhoras donas de casa à antiga, que por volta das seis da tarde se munem de mangueira e, depois de regar o jardim - tudo muito bem, as plantinhas precisam de água - LAVAM A ESTRADA!

Vou para o ginásio por uma rua onde só há vivendas e lá estão elas, afincadamente a ver quem consegue chegar mais longe com o esguicho da mangueira!
É um gasto absurdo de água... Aquele recurso que está cada vez mais escasso - e caro.
Porquê lavar a estrada? Para afastar o pó? - A estrada é empedrada! E é uma estrada! Não é a soleira da porta! Onde normalmente há tapetes para limpar os pés.
Para quê empurrar as folhas para as grelhas das valetas? Para as entupir com as primeiras chuvas?

Para quê gastar tanta água??

Juro que não entendo...

*
*

3 comentários:

Naná disse...

Os meus vizinhos de baixo lavam copiosamente o quintal com uma mangueira e a água é tanta que dá a volta ao quarteirão, porque a primeira sarjeta é demasiado pequena para escoar tanta água...
Mas há uma coisa que me tira ainda mais do sério: quando vou a conduzir e o condutor que vai à minha frente me atira a beata do cigarro pela janela e vem parar ao meu vidro do carro...!

rosemary disse...

Muito bem visto, sim senhora. Eu também sou assim, especialmente em relação à mania que as pessoas têm de deitar tudo para o chão. Chama-se falta de civismo. Mesmo em pequena cheguei a aborrecer-me à séria com uma amiga por ela ter deitado o pacote de sumo vazio no chão e obriguei-a a apanhar! Ela ficou parva a olhar para mim mas eu não conseguia compreender aquele acto. SImplesmente achei inconcebível, mesmo com os meus tenros 10 aninhos. E sabes porquê? Porquê nasci e vivi os 1ºs anos da minha vida num país onde se ensina deste pequenos as crianças a respeitarem o espaço público e a como comportarem-se em sociedade. É tudo uma questão de civismo.

Bjs*

MARIINHA disse...

Tu hoje estás toda ecologista, e com razão. Ana vi que passaste pela Mansarda. Agradeço as tuas palavras. Um beijinho