segunda-feira

Às Vezes Mais Valia Não Abrir o Bico.


É que se fosse assim...



Uma das coisas que prezo nas pessoas é a sensibilidade.

Não tanto a sensibilidade no sentido de delicadeza, de se ser sensível (se bem que também se poderia adequar a esta situação em concreto), mas a sensibilidade em termos de tacto, de noção do que se deve dizer ou não. O velho e aclamado chá.
Confesso que é uma das características que tento cultivar e melhorar em mim, porque como falo pelos cotovelos, às vezes lá sai uma coisita menos simpática.

Eu tenho duas tatuagens.
Uma mais discreta que a outra, mas nenhuma delas extraordinariamente gritante.
Uma no pulso esquerdo e outra no tornozelo direito.


Estava no ginásio e diz-me uma colega que conheço vai para quinze anos:
- Ó pá, estás toda riscada!
- Riscada?
- Sim, tens uma tattoo na perna outra no braço...
- hmmm... (sorriso amarelo).

Desculpem lá!
"Toda riscada"?
WTF?!!

Este tipo de comentários são dispensáveis e revelam, quanto a mim, uma tremenda falta de chá. (Cá está ele!)
Quem faz tatuagens fá-las porque gosta, não porque quer que os outros gostem delas. Por isso, desculpem lá se as coisas que coloco no meu corpo ofendem os vossos olhos.

Para a próxima peço autorização, sim?

*
*

2 comentários:

MARIINHA disse...

Alguém tem alguma coisa com isso? As pessoas podem gostar ou não, para si, mas não têm o direito de fazer comentários em relação aos outros que têm. Pois olha, eu gosto muito de ver uma tatuagem no tornozelo. Fosse mais nova e de certeza que também teria.E mesmo assim, não sei.
Beijinhos Ana.

Princesa Tagarela disse...

...são umas enbejosasss é o que é...são lindas as tuas tatoos...

beiiijoooss