quinta-feira

Ora Bem...

Agora só me apetecia estar aqui de papo para o ar!!



Afinal parece que lá consegui!

Não fazer a directa à moda antiga, porque uma vez que recorri a um mero cafézito, às três da manhã já estava a cair de sono, mas aguentei até às seis.
Dormi até às nove e acabei o livro algures depois da hora de almoço das pessoas normais!

É estranho sentir o meu corpo, que normalmente é bastante resistente, a ceder, a apagar por completo. Queria abrir os olhos e não conseguia, tinha fome e não tinha forças para mastigar, as pernas doíam-me como umas doidas, tinha cãibras nas palmas das mãos e nem sentia os polegares. A traduzir um livro sobre zombies e criaturas não mortas, parecia que estava a escrever sobre mim!! Foi estranho, porque já fiz muitas directas, com mais ou menos incentivo líquido, sempre consegui aguentar bem, mas foram quase todas feitas por diversão, algumas para estudar, mas nenhuma a trabalhar desta maneira.
Às tantas já parecia aquelas avozinhas que vão aprender informática e escrevem uma letrinha de cada vez, e ainda andam à procura das teclas!!
Estava trôpega de todo!

Consegui entregar o livro, fiquei contente com o resultado, mas profundamente descontente, senão zangada mesmo, com o decorrer de todo este processo.

"Porque podias ter acabado o livro antes."

Pois podia. Mas quando me vejo entre escolher uma noite com amigos (o que significa que a manhã a seguir vai para o tecto), um passeio com o Nuno ou uma ida às compras ou ao cinema em detrimento do trabalho, eu que tenho liberdade para o fazer, nunca escolho o trabalho.
Não consigo.
E tenho perfeita consciência que estou a roubar tempo precioso, que mais tarde terei de compensar.

Mas não consigo resistir. E gostava de conseguir.

Eu adoro o que faço, mas a minha vida é muito mais do que isso. O meu trabalho por si só, não me define nem completa como pessoa. E quando tenho uma semana como a última em que não faço literalmente mais nada a não ser trabalhar fico virada do avesso.

E ainda a procissão vai no adro!

Até ao fim de Junho tenho mais dois livros para entregar.
Um deles está quase acabado.
O outro vai ser mais rápido que os anteriores, porque é uma obra infanto-juvenil - logo o nível de linguagem é mais acessível, a estrutura frásica não é tão complexa - e são só 260 páginas!!

Eu tenho mesmo de gostar disto!!

*
*


Só um pequeno esclarecimento a uma certa tagarela que andou aí a mandar bocas sobre o bolo de bolacha e a tarde de maçã que comi ao jantar: Eu até merecia comer o puto do bolo de bolacha inteiro e pelo menos metade da tarte de maçã!! De tão bem que me portei este tempo todo! Além disso, precisava de açúcar para o esforço que se avizinhava, tá?!!
;)

*
*

4 comentários:

Ana C. disse...

Ana muitos parabéns por mais um livro traduzido!!!!!

MARIINHA disse...

Ora ainda bem que esse calhamaço está despachado. Foi um alívio para ti. Trabalhar em casa deve ser bom, mas por outro lado como não há obrigações, pode-se ir deixando e depois é que são elas.
Agora relaxa um pouquinho, mas desejo-te boa pedalada para os trabalhos que tens de terminar.
Beijokas Ana.

Princesa Tagarela disse...

...Princesa...para tu acabares o raio do livro eu até te deixava comer um TOBLERONE inteiro...

Ainda bem que já está...és especial!!!

;)))

Banita disse...

Não sei se não faria o mesmo que tu... ir sair, aproveitar e depois fechar para obras durante montes de dias! Tem de se ter uma grande organização e ser muito consciente quando se trabalha em casa porque o tempo... FOGE!!
Beijinhos e Parabéns por mais um trabalho concluído!
Agora o descanso não do guerreiro, mas da tradutora! ;)