quinta-feira

Oito Coisas Simples...

Às vezes, as coisas simples são as mais bonitas, mais surpreendentes, mais apaixonantes...


A Mariinha ofereceu-me um prémio todo posh e desafiou-me a escrever cinco coisas que adoro na minha vida e porquê.

Não estou com muita vontade de fazer grandes reflexões, ando tão cansada que por vezes até pensar me custa (e isso em mim é grave!!), por isso vou enumerar não cinco, mas oito coisas que me fazem bem.

Por muito simples e/ou ridículas que sejam.

Porque nós não somos feitos apenas de sentimentos profundos e complexos. Somos sim, uma mistura (que se espera equilibrada) de todos os pequenos e grandes detalhes que fazem um ser humano. Com defeitos, virtudes, manias e por aí em diante...

  1. Gosto da cor verde. Não tem nada que ver com clubites (embora coincida com a minha preferência), mas sim com o facto de ser uma cor que me acalma. Adoro olhar para uma seara de trigo e para as árvores cheias de folhas renovadas, quando começa a primavera. Gosto de me deitar em cima da relva e de rebolar sem pudor por uma colina abaixo.
  2. Gosto de sonhar acordada. Faço grandes filmes na minha cabeça. Sobre tudo e sobre nada. Invento personagens, histórias, locais. Tudo. É a minha estratégia favorita para aqueles momentos antes de adormecer. Sou capaz de andar com a mesma história na cabeça durante semanas e vou ao ponto de decorar completamente as casas onde as personagens vivem. Eu sei que isto tem cura!!
  3. Adoro comer pão com imenso conduto. Ou seja, em vez de comer pão com queijo... gosto de comer queijo com pão! Quem diz queijo diz manteiga, fiambre, tulicreme, and so on and so forth... Já sei que faz mal, que é idiota, mas eu gosto!!
  4. Gosto de ter tempo para cozinhar. Prefiro fazer uma lasanha, um bacalhau com natas ou uma feijoada do que grelhar um bife e cozer arroz. Não gosto da cozinha rápida. Se tiver tempo consigo inventar muito mais, modificar receitas, experimentar condimentos... E confeccionar doces então nem se fala! Mas é melhor não entrarmos por aí!!
  5. Adoro passear sem destino. Entrar no carro e começar logo por decidir: para a esquerda ou para a direita? Depois é só manter o espírito aventureiro alerta. Já encontrámos lugares maravilhosos com este sistema. O pior é que depois não conseguimos lá voltar (porque nunca anotamos as direcções)!!
  6. Perco-me a ler. A minha vida não faria qualquer sentido sem os livros. Mesmo que não fosse o meu trabalho, não consigo imaginar-me a não ler. É por isso que se me crispam os pelinhos todos que tenho no corpo quando ouço alguém dizer que não gosta de ler, ou que nunca leu um livro até ao fim. Grrrr!
  7. Tenho uma mania com o algarismo oito. Nasci a oito do oito. Quando estive no hospital (onde o meu coração parou duas vezes) a minha cama era a número oito. Casei no único sábado daquele mês que tinha um oito. Fiz questão de trocar de alianças quando fizémos oito anos de casamento. Tenho tatuado um oito estilizado. Quando escolhi os números de telemóvel, escolhi os que tinham mais oitos. Quando me pedem para escolher um número, seja para o Euromilhões ou para um truque qualquer, escolho sempre o oito, o dezoito e por aí fora... Só não gosto do chuveiro número oito do ginásio porque é mais pequeno que os outros!!
  8. Amo de paixão a minha vida. Porque se me sentar e pensar um bocadinho (está difícil, mas não é impossível!) vejo que já percorri um grande caminho. Já alcancei muita coisa. Estou onde sempre quis estar. Tenho ao meu lado o homem que a determinada altura decidi que queria ter para sempre (e tive a sorte de ele me querer a mim também, claro!! It takes two to tango!!). Sei que mereço tudo isto e muito mais. Sei o meu valor. Todas as coisas boas que me estão reservadas são inteiramente merecidas. Não tenho medida para o amor que dou. Não dou nada a pensar que vou receber algo em troca. Tenho algumas mágoas, mas elas só serviram para me trazer até aqui. Ajudaram-me a crescer. E a ser feliz. Cansada, mas feliz.
Podia enumerar mais umas quantas, isto só custa a engrenar, depois é sempre a abrir! Mas fica para a próxima.

Agora, o que me apetece mesmo é ir dormir... mas ainda não posso.
Só mais um bocadinho.
*
*

7 comentários:

MARIINHA disse...

Aninhas, tu estás com tanto trabalho, que eu sei. Tens aquele livro imenso para traduzir, não é? Eu não tenho comentado quase nada, mas agora não resisti. Foste mesmo assim, responder ao desafio. Quero dizer-te que está muito engraçado. Gostei mesmo. Aí das tuas coisas, a leitura e viajar sem saber o destino, temos afinidade. Fiz muitas vezes, ao sábado atravessávamos a ponte e tanto podíamos ir para Évora como para Portalegre, como para a Serra da Estrela. Eu adorava isso. Cozinhar pratos mais elaborados é que não tenho grande pachorra.Aninhas, beijokas querida e bom trabalho, despacha lá isso, o que tem de ser tem de ser.

Princesa Tagarela disse...

E gostas de mim...

;)))

Ps: ...conheço as florinhas da foto :)))

Naná disse...

Também partilho o ponto n.º 8! E sei que se tivesse que fazer tudo de novo, poucas seriam as coisas que alteraria, porque tenho poucos arrependimentos...

Ana. disse...

Ai Mariinha,

O que tem de ser tem muita força! Já dizia o outro!

Beijinhos para ti!
;)

Tagarela...
De ti gosto só um bocadinho... do tamanho do Everest!!
Eu não disse que a fotografia ia ficar bonita?!
Afinal, quem é que percebe disto?
;)


Então estamos em sintonia, Naná!
Apesar de tudo, temos as coisas bem resolvidas na cuca!
;)

Joanissima disse...

Ai, pá! TU és tão linda e tão doce que eu nem sei o que te dizer... : )

Já te disse que gosto muuuuuuuuito de ti?
Pois que gosto. É oficial.

Banita disse...

Sou a 6 sem tirar nem pôr! E mais umas quantas também!
A Mariinha relembrou-me o que fazes aos livros e com eles, por isso, esquece a pergunta anterior...

Hydrargirum disse...

Adorei este post:)))

Nasceste a 8 de Agosto...somos os dois Leao:)

Jinhos:)