quarta-feira

Eleven Days and Counting Down...

Giant Book - Imagem tirada da Net

Eu já sabia que este dia ia chegar.

Até avisei há uns tempos que dentro de algumas semanas me ia apetecer cortar os pulsos!

Adiei, passei um livro menos exigente à frente deste - que é muito mais difícil (mal feito, Aninhas, muito mal feito) - parei quase uma semana porque estava mal dos ombros e mais não sei o quê; fiz trinta por uma linha para evitar encarar este touro de frente (que é o que normalmente faço)...

Mas o inevitável é isso mesmo - inevitável.
E por muitas voltas que lhe dê, a realidade é apenas uma:

É uma porra de um livro difícil, grande, num registo de linguagem que não me agrada por aí além, com demasiado sangue e brutalidade à mistura, mas continua a ser um bom desafio. E um compromisso que assumi.

É verdade que o senhor escusava de escrever tanto - quatrocentas e cinquenta páginas é muita palavra (e metade delas são asneiras do piorio!) - as duzentas e pouco que tenho traduzidas chegavam perfeitamente para entreter o leitor!! Mas as coisas são como são.

Quem me conhece sabe que adoro o meu trabalho, que dificilmente me sentiria tão realizada a fazer qualquer outra coisa (se bem que a decoração de interiores e a fotografia me apelem cada vez mais!!), mas há dias em que, com toda a sinceridade, acordo de manhã e penso "Ó pá, outra vez não! Não me apetece trabalhar outra vez naquele livro."

E atenção, não quero com isto dizer que o livro não seja bom, que a história seja desinteressante. Muito pelo contrário. É até uma sátira muito pertinente à nossa sociedade consumista, implacável e (quase) desprovida de escrúpulos.
Mas é difícil. Não é literatura de meninos! (Ou de meninas - coisa que me aborrece quase tanto quanto estes contos duros e cruéis.)
É difícil. E trabalhoso.

Por isso, o melhor é deixar-me de merdas, e meter mãos ao trabalho para ver se me vejo livre disto. Tenho onze dias. And counting down...

E uma coisa é certa: se consigo fazer isto, consigo fazer qualquer coisa.
Bring it on!
*
*

7 comentários:

Miguel disse...

bom trabalho!!

Ana C. disse...

A fase pior é aquela em que ainda não entrámos no trabalho, mas antevemos o que nos espera...
Assim que enfiares as mãos na massa o problema de consciência que te invade quando páras, pára também.
FORÇA MULHER!!!!!!!!!!!!!!!!!

rosemary disse...

É esse o espirito! Bom trabalho :)

bjs*

Ana. disse...

Obrigada Miguel!
Vai correr bem!

;)

Ana. disse...

Ana,
Sei que entendes bem do que falo. O nosso trabalho tem bastantes semelhanças!
Obrigada!
;)

Ana. disse...

Rosemary,
Já sabes como é: optimista até prova em contrário!
Infelizmente a prova não anda muito longe!!
Mas vai correr bem!!

;)

Banita disse...

O que fazes exactamente que eu ainda não percebi...
Apesar de ler muito, não sei o que está por detrás da indústria dos livros, percebes?