terça-feira

Hã?

Imagem tirada da Net



Desde miúda que ouço dizer: "Ó raça da cachopa, parece que tem bicho carpinteiro!"

Até pode ser verdade.

Eu não parava quieta, fazia todas as tropelias e mais alguma, desde pegar num pacote de farinha e atirar punhados ao ar para fazer de conta que estava a nevar em casa; ou soltar as perdizes do meu pai porque, coitadinhas, eram muitas, a gaiola era pequena e a correr pelo quintal é que elas estavam bem; até ir lavar a roupa da minha boneca favorita (a Vânia!) para o bidé da minha vizinha enquanto toda a família e vizinhos procuravam por mim com um desespero avassalador; enfim, fiz de tudo um pouco e tive uma infância fenomenal!

Diziam que "isto acaba por lhe passar".

Pois não sei se passou!

Confesso que continua a custar-me estar parada muito tempo no mesmo lugar, com as mesmas pessoas, a fazer a mesma coisa ou a falar dos mesmos assuntos.
Gosto mais de estar sempre on the move!
Ver coisas novas, conhecer gente nova, visitar lugares novos. Fazer coisas!

Quando vou passear para uma serra, sou a primeira a subir para cima de uma rocha, uma árvore ou qualquer outra coisa que represente um desafio.
E às vezes até corre mal! Tornozelos torcidos, joelhos esfolados, mãos arranhadas, tudo faz parte da diversão!
Desde que seja novidade!

Não que o conhecido, o habitual, não me traga algum conforto, talvez até um certo à-vontade que não encontro em situações desconhecidas, mas a emoção da vida é mesmo essa, não é? A descoberta, a adrenalina, o inesperado... Até a asneira!

Isto é tudo muito certo, muito bonito, mas levanta uma questão quanto a mim inquietante:

Como é que eu, que gosto tanto de movimento e novidade, me sinto mais feliz que nunca numa relação que dura há uma dezena e meia de anos e mais realizada que nunca por ter um trabalho que me "obriga" a estar sentada em frente ao computador durante a maior parte do meu dia?!

Como é que sinto que existo pacifica e alegremente em dois mundos tão contraditórios?
Hã?

8 comentários:

Joanissima disse...

Deliciosa, a tua descrição... : )

Eu acho que em nós ha e haverá sempre alguma coisa de mágico, de puro, de infantil E é essa fidelidade a ti que tanto te caracterioza que te faz ser quem és.
Porém, á medida que os anos passam, é natural que serenes, que amadureças, que sejas e estejas feliz com outras coisas que te sossegam a alma e que, ao mesmo tempo, te deixam a alma correr livre.

És uma privilegiada, isso sim!! : )

(uma dezena e meia?? Bolas!!!!!)

:P

Um grande beijo!!

Ana. disse...

Uma dezena e meia, Joanissima!

Se te disser que ainda hoje olho para ele e tenho a sensação de que o conheci há meia dúzia de horas acreditas?!

Éramos uns miúdos, mas resultou!
Com mais ou menos sobressaltos - na verdade foram poucos - mas resultou.

E é esta a grande surpresa!!

Bjs!

Joanissima disse...

Isso é delicioso... : )

Fico contente por ainda haver histórias de amor... : )

Um grande beijo!!!

(uma dezena e meia??? Bolas!!!!!)

Princesa Tagarela disse...

Não vejo nada de contraditório...
absolutamente nada...

És um ser único, onde a placidez e a busca do encanto de viver se tornam facilmente unas!!

Isso é simplesmente fantástico... Got it??

Beijooss Colooossaiis!!

Laura disse...

Uma dezena e meia de q?? Anos???....
Um Nobel para esta mulher, se faz favor!!! :)))

Eu ando metida numa há dezena e meia de dias e já estou à procura dos dígitos verdes a dizerem 'saída de emergência'... :P O mesmo com o meu trabalho (q até supostamente é diferente, giro e artístico!)

Mas se me é permitido mandar o 'bitaite' (a minha vida não me chega, de facto! :)), a adrenalina e a novidade também se conquista na rotina. Um dia de trabalho produtivo, um carinho da pessoa amada, uma surpresa de um amigo... não é também isto q nos dá 'pica'?! :)

Digo eu...

Beijinhos,
Laura

Ana. disse...

Princesa Tagarela!

Já estou a babar!
Tu, que me conheces como poucas pessoas, a rasgar tanta seda, só para mim?!...

Só posso babar!
;)

Ana. disse...

Laura:

E dizes muito bem!
Cheira-me que és como eu, uma alma inquieta!
Mas basta saber procurar o doce aroma dos dias e tudo faz sentido, mesmo o que não é dramaticamente perfeito!

Acredita que não sou eu quem merece o Nobel!...

Beijos!

Princesa Tagarela disse...

Ah! Ah! " Rasgar seda"...eu sei do que falo, essa é que é essa...

E isto, dos R.omances e tal, anda a deixar me, assim... derretidinha...

Beijoooosssss!!!